Samsung Galaxy A5 e Samsung Galaxy A7 2017 [Análise/Review]

Por Adriano Ponte RSS

Quando fomos ao evento de lançamento do Galaxy A5 e A7 2017, notamos que era quase do mesmo aparelho que falaríamos se fizéssemos dois vídeos, um para cada. Dessa forma, resolvemos trazer um review duplo para vocês, mostrando onde os dois são iguais e indicando onde são diferentes.

O aparelho

Você gosta do Galaxy S7? Sendo sim ou não a resposta, temos no A5 e A7 2017 uma semelhança incrível com o modelo TOP de 2016 da Samsung. As faixas de antena, a traseira em vidro, o acabamento arredondado na traseira; tudo remete ao Galaxy S7.

A pegada deles é boa. O corpo arredondado dá um encaixe macio nas mãos, sem escorregar. Na frente há um acabamento também arredondado em todo o entorno do vidro frontal, algo que temos visto o nome de "acabamento 2.5D" por aí, e que no A5 e A7 cria uma excelente transição tátil entre a tela e a moldura de metal.

O vidro na traseira dá uma boa segurada na empunhadura dos dois aparelhos, sendo agradável ao toque a transição do metal da moldura para o vidro posterior. Para uso com uma mão, o A5 é ideal, já o A7, apesar de ter o mesmo design e construção, fica meio desajeitado para essa finalidade (é quase um Phablet).

Uma nota: nem de longe apoiamos todo esse vidro num smartphone, principalmente com a tendência natural de aparelhos caírem pelo chão a qualquer momento; apenas apontamos que, do jeito que a Samsung utilizou ele no A5 e A7, funciona para o manuseio e boa pegada.

Na frente deles temos os clássicos botões Samsung, sendo duas touch-key para "voltar" e "multitarefa", além do botão físico "home". Há leitura de digitais no modelo, sendo seu local de leitura o próprio botão "home". Não é necessário clicar o botão para que aconteça o reconhecimento – o mero apoio do dedo sobre o "home" é suficiente para que a tela ative-se já desbloqueada. O tempo entre o encostar do botão e a ativação é perceptível, porém curto.

Sobre o resto do design dos aparelhos, temos uma dose de bom senso bem interessante. Os componentes do A5 e A7 não saltam para fora da traseira ou frente do aparelho, assim não temos câmeras expostas para fora do corpo. Ao apoiar os dois numa mesa, não temos como ponto de apoio o sensor de fotos. Essa informação é usada pela própria Samsung como divulgação dos modelos, algo como uma admissão da porcaria que fizeram em modelos passados com câmeras saltadas. Ficamos felizes em ver que ainda existe bom senso no mundo.

Contrariando a lógica de alguns smartphones, temos no A5 e A7 entrada para fone de ouvido padrão 3.5mm para a alegria de todos. Isso é impedimento para que os modelos sejam à prova d'água? Não! A5 e A7 têm a mesma resistência aos líquidos do dia-a-dia, contando com certificação IP68 para imersões acidentais em água doce por até 30min numa profundidade máxima de 1.5m (ou seja, privadas estão liberadas pessoal). Assim temos mais um passo rumo ao padrão "água" estar coberto pelos aparelhos dessa geração.

E um detalhe: na parte de baixo deles temos conectores já no padrão USB-C para carregamento e dados, sendo conectores expostos (e mesmo assim parte de um aparelho à prova d'água). Excelente, diga-se de passagem.

Especificações

Como já dissemos, A5 e A7 são dois tamanhos do mesmo aparelho. Isso, tamanhos. O que vai dentro é igual. Ambos modelos contam com o Chipset Exynos 7880 Octa, que traz consigo:

  • CPU Octa-core 1.9 GHz Cortex-A53
  • GPU Mali-T830MP3
  • 3 GB RAM
  • 32 GB de armaz. interno (com suporte microSD)
  • GPS/GLONASS
  • NFC
  • Leitor de impressões digitais frontal
  • Certificação IP68
  • USB-C

Durante o período de testes que estiveram aqui na redação, ambos modelos rodavam o Android 6.0.1 (Marshmallow). Apesar da data de lançamento aqui no Brasil contemplar um período "onde deveria já haver Android 7 Nougat rodando de fábrica, nada feito por hora.

Display e Multimídia

Do mesmo jeito que trocar o monitor de um computador não o faz mais rápido ou mais lento (se a resolução deles for a mesma), temos esse caso no A5 e A7. Todas as semelhanças entre eles até aqui só provam que falamos de uma mesma máquina, porém conectada em telas diferentes.

Dessa forma, temos no A5 uma tela Super AMOLED de 5.2" com resolução FHD (1080p), e no A7 uma tela Super AMOLED de 5.7" com resolução FHD (1080p) - ambas contam com proteção Gorilla Glass. A diferença entre as duas é literalmente o TAMANHO, esticando mais a imagem no A7. Falando de forma mais numérica, a tela menor do A5 espreme uma densidade de ~424 ppi num espaço menor, ao passo que o A7 e sua maior área dilui isso e vai para ~386 ppi.

A qualidade das imagens é muito boa. Cores vivas, contraste excelente e cenas escuras perfeitas, com ângulos de visão excelentes. Já discorremos muito no Canaltech sobre AMOLED e suas qualidades, e isso se aplica ao A5 e A7 de igual maneira, e a resolução FHD uma boa combinação à qualidade das imagens exibidas. Sabemos que existem aparelhos ainda acima do FHD (1080p) presente nestes dois modelos, mas sinceramente: nestes dois o resultado já está muito bom. Mais que isso é incremental.

Como ambas telas são Super AMOLED e é perfeitamente possível manter apenas parte dos pixels ligados formando uma imagem, existe o suporte para o Always-On Display (a tela sempre ativa). É possível sempre conferir a hora + notificações do aparelho sem desbloqueá-lo, bastando um olhar de relance para qualquer um dos dois - Seja o A5 ou A7.

Não é uma melhoria incrível, mas merece ser pontuada. O A5 e A7 contam com a saída de som posicionado de forma mais inteligente que o normal (se comparados aos outros modelos Galaxy que já vimos por aqui). Ela fica na lateral direita dos modelos, numa posição bem mais difícil de ser abafada pelo apoio dos dedos ou mesmo a pegada do aparelho para jogos ou visualização de vídeos em posição horizontal.

Gostamos bastante disso, apesar de ser um único alto-falante uma escolha sempre "menos empolgante". O som que sai dali é OK para um alto-falante simples de smartphone (com certeza já vimos coisas bem ruins), então fica nossa nota de "ele cumpre bem o seu papel", sem desapontar nem surpreender.

Usabilidade e desempenho

Samsung tem sido sinônimo de problemas com o Android puro, como sempre. Não é no A5 e A7 que isso seria diferente, rodando em ambos modelos uma versão do sistema (bem) customizada pela fabricante, com menus de ajuda e mini-recursos extras por todo lado, incluindo configurações extras e painéis extras pelo sistema, além do óbvio launcher inicial e gaveta de APPs.

Apps proprietários da Samsung estão aí para sempre (mesmo que você não queira eles). A "Suite" Microsoft também vem pré-instalada, assim com o navegador Opera Max e o Facebook. Você pode desinstalar eles? Não. Se você tentar exterminá-los para sempre, só aparecerá a opção "desativar", que mantém o aplicativo ocupando espaço (mas dormente) no aparelho.

Indo para desempenho propriamente dito. Como intermediários, espera-se algo OK para a experiência de games e APPs. Isso é parte do que acontece com o A5 e A7. Testamos os dois modelos lado a lado, e notamos o mesmo desempenho. A questão é que notamos um bom desempenho nos dois.

A5 e A7 se mostraram muito capazes de executar títulos complexos com gráficos na opção mais exigente, sendo uma experiência bem fluída e um pouco acima do esperado para aparelhos não-TOP de linha (e sim intermediários de alto desempenho). Os limites de desempenho raramente aparecem, sendo isso mais claro em testes de performance do que nos games propriamente ditos. Durante o uso do sistema e dos APPs mais exigentes, não são notáveis momentos de espera.

Câmeras

Na traseira dos dois modelos, temos uma câmera de 16 MP (f/1.9) 27mm capaz de produzir vídeos em 1080p@30fps. Na frente, temos uma câmera virtualmente idêntica (também de 16 MP, f/1.9). Temos uma câmera equilibrada na traseira dos dois. As imagens produzidas pelo A5 e A7 mostram boa quantidade de detalhes, porém com algum ruído perceptível ao ampliar as fotos. Ambientes internos já mostram isso com alguma facilidade.

Não há supressão de detalhes nas fotos, sendo mais prático (e honesto) o ruído em alguns momentos, fato esse que aprovamos. Fotos com luz média ou ideal trarão bons registros com cores equilibradas, tendendo mais ao natural. A probabilidade para uma justificativa que surge disso tudo é a ausência de OIS, deixando o tempo de disparo mais rápido que o normal. Notamos que raras fotos sentem tremores ou ficam balançadas, mesmo sem a presença do estabilizador.

Concluímos com fotos OK, que podem sair muito boas em luz ideal, mas que em geral ficam no patamar intermediário de imagem.

Já a câmera frontal (teórica mesma câmera da traseira), temos um detalhe notável. A5 e A7 apresentam um tempo de captura e operação bem mais lento nessa câmera, como se houvesse uma queda nos FPS do sensor em relação ao traseiro. As fotos borram com mais facilidade inclusive. Essa velocidade é mais lenta em condição de luz que não causam o efeito na câmera traseira.

Fica aqui nossa obervação: a qualidade das fotos segue na frontal o que descrevemos para a câmera traseira, com detalhe que há a opção de aplicar filtros suavizadores se for sua vontade (chamados de filtro de beleza, nesse caso). Temos assim fotos frontais acima da média no A5 e A7, combinadas com fotos traseiras na média para intermediários.

Baterias e Acessórios

Projetos de smartphone levam em conta inúmeros fatores, e balancear a quantidade de mAh numa bateria pode ser apenas tarefa matemática, sem necessariamente ser um benefício para o usuário. Dizemos isso pois no A5 e A7 temos uma diferença que indica igualdade. Faz sentido? Faz, acredite.

Com chipsets iguais temos consumos de CPU e GPU iguais em teoria; a questão é que as telas são diferentes, e telas são um dos maiores fatores de consumo de energia num smartphone.

  • Para o A5 e suas 5.2", temos 3000mAh.
  • Para o A7 e suas 5.7", temos 3600mAh.

Num primeiro olhar parece que a mensagem é algo como "quer mais bateria? vá de A7", mas não é essa a realidade. Essa diferença de mAh é muito bem pensada, e comprovamos isso em nossos testes.

Com ambos aparelhos lado-a-lado executamos horas de testes idênticos com ciclos de 1 hora cada, e notamos que ambos modelos mostram uma descarga média de 11% de suas cargas por hora durante streaming contínua (apenas via Wi-Fi) com brilho máximo de suas telas AMOLED. Não é generosidade da Samsung no A7 haver mais bateria - isso é mero ajuste para a ela mais exigente.

De qualquer forma, o resultado é BOM, e mostra que ambos modelos são bem dosados no consumo de suas cargas e tendem a resistir o dia todo com a grande maioria de usuários, ficando assim muito bem colocados em nosso conceito de "bons de carga". Para usuários mais extremos que conseguirem secar essa energia antes da hora, temos a possibilidade do carregamento rápido em ambos modelos (que acompanham em ambas as caixas um carregador compatível com recargas a 9v).

Falando em caixas, os dois tem igual conteúdo nelas. Além do excelente carregador rápido temos os fones iniciais intra-auriculares e um acessório pequeno (fácil de perder) e que ajudará demais sua vida; falamos de um adaptador micro-USB para USB-C, feito para permitir que aquele carregador que você já tem em casa possa dar energia ao A5 e A7. Basta prender a peça ao carregador antigo e pronto! Conversão feita. Após esse encaixe, não haverá perda acidental.

Vale a pena?

Preço tem sido a pior hora para falarmos quando os aparelhos em questão são da Samsung. A empresa parece ter perdido toda e qualquer referência dos valores corretos e ideais de seus aparelhos.

Para estes dois intermediários de boa qualidade é cobrado o valor de R$ 2.099 (para o Galaxy A5) e R$ 2.299 (para o Galaxy A7), indicando que R$ 200 separa a opção maior e a mais compacta. Intermediário com preço gourmet, é só isso que podemos dizer. Vale a pena? Por esse preço não. Gostamos muito dos aparelhos, mas por esse valor não vai.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome