LG G5, o verdadeiro! [Análise]

Por Redação

O LG G5 fez um grande barulho lá fora, afinal estamos falando de um topo de linha modular, que podem ter novas partes acopladas a ele. Porém, para decepção do público brasileiro, a LG escolheu lançar no Brasil apenas o G5 SE, uma versão “capada” do seu principal gadget no momento. Mas nós conseguimos um G5 de verdade e contamos tudo sobre ele para você nesta análise completa.

O novo smartphone da LG foi feito para chamar a atenção: com corpo arredondado e a parte inferior modular, ele é construído em vidro e metal e lembra, ao mesmo tempo, tanto a linha K quanto a linha Nexus, esbanjando em acabamento premium. Em seu corpo, é possível notar três estágios: tela curva na ponta, frente de vidro e traseira de metal. A entrada só SIM e do cartão de memória ficam na parte lateral e são abertas com chave. A parte de trás, agora, conta apenas com o botão de bloqueio e de desbloqueio — os botões de volume foram parar em uma das laterais.

LG G5O G5 de verdade. (Foto: Canaltech)

Especificações

  • Chipset Snapdragon 820
  • CPU dual-core 2,15 GHz Kryo & dual-core 1,6 GHz Kryo;
  • GPU Adreno 530;
  • Memória RAM de 4 GB;
  • 32 GB para armazenamento interno com suporte para cartão microSD de até 200 GB;
  • Tela IPS LCD de 5,3 polegadas com resolução Quad HD 1.440 x 2.560  (~554 ppi) e Gorilla Glass 4;
  • 2 câmeras traseiras com 16 MP (f/1.8) e 8 MP (f/2.4) mais o módulo de câmera com autofoco laser, OIS de três eixos e flash de LED;
  • Câmera frontal de 8 MP (f/2.0);
  • Conexões Wi-Fi a/b/g/n/ac, dual-band, Bluetooth 4.2, GPS/GLONASS/BEIDOU, NFC, Infravermelho, USB    -C, e leitor de digitais;
  • Versões single e dual chip;
  • Dimensões: 149,4 x 73,9 x 7,7 milímetros;
  • Peso: 159 gramas;
  • Android 6.0.1 Marshmallow.

Display e multimídia

Os resultados da tela do G5 são bons, com ângulos de visão excelentes e sem perdas aparentes nas imagens — a LG já demonstrou a sua capacidade de trabalhar bem com uma LCD. A calibragem de cores da tela é feita visando deixar os tons mais assertivos, então, você não vai ver vermelhos estourados ou cores mortas. A GPU auxilia bastante neste processo para compensar a luz do sol na cor de cada pixel e é possível afirmar que o visual aqui é o mais realista possível.

Mas é claro que a tecnologia LCD tem as suas limitações, e o G5 não consegue escapar de todas elas. Somos detalhistas, portanto, notamos que os níveis de preto são sacrificados se comparados à mesma cor reproduzida em uma tela de LED ou AMOLED. Isso não atrapalha o contraste em geral nem gera efeito névoa, comum em displays de baixa qualidade, mas limita o quanto o preto pode ser de fato. Há ainda o “problema” da retroiluminação da tela, que fica visível nos cantos do display quando o nível de brilho está mais elevado.

LG G5Apesar de LCD, a tela do G5 é muito boa. (Foto: Canalech)

Seguindo a tendência dos últimos tops de linha, o G5 também conta com a função Awalys-On no display, mesmo ele sendo equipado com uma tela LCD. Isso funciona sem implodir a bateria do aparelho, porque a LG equipou seu gadget com controladores específicos para operar o display em baixo consumo de energia durante este modo, algo semelhante ao realizado pelos aparelhos Lumia, em 2015.

Apesar de pequeno, o alto-falante consegue gritar bem alto sem perder a qualidade. Ele entrega bem mais do que é comum ver em gadgets com apenas um alto-falante, ficando acima da média também em relação a outros speakers deste tamanho. Ele tem alguma dificuldade quando os sons reproduzidos são muito altos, quando é possível notar uma distorção. A grande falha aqui, porém, é a localização da saída de som, que é facilmente tampada.

Mas há também um detalhe muito interessante: como o alto-falante fica na parte inferior do LG G5, ele está em um módulo destacável do aparelho. Com isso, é razoável imaginar que, em breve, a fabricante (ou algumas parceiras) lancem bases com saídas de som ainda melhores para o gadget.

Usabilidade e desempenho

O G5 vem com um Snapdragon 820 e isso não só é sinônimo de poder de fogo como também uma das melhores experiências Android da atualidade. Absolutamente nada ameaça o aparelho da LG e até mesmo os testes de bechmark rodam em altíssima taxa de quadros por segundo. Em comparação, o G5 não deve em nada para Galaxy S7, Mi 5 e iPhone 6S, mesmo com chipset diferente.

Além de alto poder de foto, os 4 GB de RAM complementam este ótimo hardware. Ele não só ajuda no multitarefa como prolonga o tempo de vida útil que o aparelho pode ter. Mais memória significa aguentar as próximas gerações do sistema mobile do Google sem muito aperto.

Em relação à parte modular do G5, atualmente, o chamado “Magic Slot” (nome dado pela LG à parte do smartphone que pode receber novos módulos) conta atualmente com duas opções:

  • LG Hi-Fi Plus com B&O Play – Módulo de áudio Hi-Fi portátil;
  • LG Cam Plus – Módulo de fotografia que aproxima a pegada do G5 às câmeras DSLR, com controle de obturador/exposição e zoom, além de adicionar mais 1.200 mAh à bateria do gadget.

LG G5G5, o modular da LG. (Foto: Canaltech)

Sobre a interface, a LG ainda não aprendeu que a sua UX, agora na versão 5.0, muda demais o ambiente Android. Nós acreditamos que o Android não precisa de modificações, então, apresentar um menu customizado pela fabricante impacta consideravelmente no aparelho. Nenhum bug ou incompatibilidade foi notado durante os nossos testes, mas fica o aviso de que a LG mete o dedo no trabalho visual do Google com o Android.

Para finalizar o tópico de desempenho, vale ressaltar que a LG aprimorou bastante a questão da temperatura de seus gadgets. Se antes era comum se assustar com smartphones da sul-coreana esquentando bastante, o G5 não tem este problema e vai longe sem pelar a sua mão.

Câmeras

O principal atrativo do G5 neste aspecto é a dupla câmera traseira — além disso, há ainda um módulo de câmera que expande as funcionalidades do gadget. As câmeras são capazes de faezr vídeo em 2160p a 30 fps (sensor principal, de 16 MP) e a 1080p a 30 fps (sensor secundário, de 8 MP).

Usando o secundário, as capturas sobre para um ângulo de visão de 125°, mas sacrifica o processo de foco de proximidade (que é fixo) e também parte da riqueza de detalhes — obviamente, isso tudo quando comparado com imagens feita com o sensor principal do LG G5. Nele, o campo de visão desce para os convencionais 75° e a qualidade das imagem é impressionante.

LG G5Não há do que reclamar das câmeras do G5. (Foto: Canaltech)

Basicamente, temos uma espécie de GoPro fixa ao lado da câmera do G5 para ser usada nos momentos mais panorâmicos da sua vida. E o legal é que trocar entre as duas câmeras é rápido e fácil: basta acionar um botão dedicado a isso presenta na interface de captura.

Mas, no geral, nenhuma das câmeras decepciona. Em ambas, as cores e os contrastes são precisos, dentro do esperado para um aparelho top de linha. A câmera principal apresenta uma riqueza de detalhes ainda maior, com pouquíssimo ruído, mas com muito pós-processamento, o que dá aquele ar artificial às imagens.

Sobre a câmera frontal não há muito o que dizer. Ela tem um ótimo desempenho, com níveis suficientes de detalhes, contrastes e cores. Em suma, uma câmera bem equilibrada e que permite o uso do display como flash para capturar as suas selfies em ambientes pouco iluminados.

Bateria e acessórios

O LG G5 é movido por uma bateria amarela, modular, removível e substituível. Assim, indo na contramão de todo mundo, a LG de uma bola dentro daquelas. Parte da modularidade significa ter acesso à bateria, que pode ser destacada da base e trocada por outro com carga completa ou mais nova. Esse é um ponto em que a fabricante ajuda bastante o produto a ter uma vida útil maior.

E o tanque do G5 conta com 2.800 mAh, o que se vira bem em relação ao modo stand by, bastante econômico, mas deixa a desejar quando o bicho pega. Em nossos testes, notamos uma taxa de descarga que varia entre 18% a 20% por hora de streaming contínuo com brilho máximo. Isso indica que o G5 vai precisar de uma nova carga já na metade do dia. Porém, o ponto positivo aqui é que o Quick Charge 3.0 do G5 permite recarregar 85% da bateria em apenas 30 minutos conectados a uma tomada.

LG G5O módulo do G5. (Foto: Canaltech)

E você se lembra que falamos sobre o G5 não esquentar durante o uso? Pois durante o carregamento com o Quick Charge ele esquenta bastante, com a temperatura chegando a níveis preocupantes — mas, claro, tudo sempre dentro do padrão deste tipo de carregamento. Então, nada demais, apenas um sustinho.

Vale a pena?

O G5 tem ótimos recursos e está à venda no exterior por US$ 600, ou seja, ele até valeria a pena se estivesse à venda em solo brasileiro, o que não acontece. Para nós, a LG trouxe o G5 S3, uma versão menos potente, mas igualmente cara ao “G5 original”. Mesmo assim, podemos considerar o G5 lá fora caro, afinal o iPhone 6s Plus sai por US$ 749.

Um aparelho modular, com a promessa de acessórios fantásticas que surgirão logo adiante. Você acredita nisso ou acha que é só balela? O G5 tem um ótimo par de câmeras e uma tela de respeito, mas você acha que vale o trabalho (e o custo) de importá-lo para o Brasil? Deixa a sua opinião aí nos comentários.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome