Motorola Moto G5 (2017) - Análise Completa/Review

Por Adriano Ponte RSS

O que falar da série G da Motorola? Temos aqui um dos aparelhos mais pedidos por vocês em comparativos e análises: o Moto G5. Confira todos os detalhes em nosso review!

O APARELHO

Contando com 9.5 mm de espessura e aproximadamente 145 g de peso, temos um Moto G5 com corpo em metal e design retrabalhado, levando o modelo muito mais para perto do Moto Z.

Ele possui leitor de impressões digitais (frontal), porém não como foi implementado no Moto G4. Parece que a Lenovo entendeu o susto que deu em todo mundo com o quadrado para impressões digitais no modelo passado, deixando muitos na dúvida do que seria aquele “alien” em alto relevo, criando para muito a sensação de que era um botão "home" que não funcionava.

Agora, com mais sensatez, temos a área convertida para o baixo relevo, opção mais sábia em termos de design e de bom uso em termos de ergonomia.

Os últimos modelos da linha G têm mostrado em suas características o nanorrevestimento para resistência a "respingos de água", sendo capazes de sobreviver a inícios de chuva e algumas situações leves de umidade. No caso do Moto G5 não temos essa "propaganda" estampada em sua caixa, por exemplo, deixando ainda mais clara a mensagem de que "água" é um assunto muito delicado para a linha G.

Evitar qualquer coisa acima de "respingos" é a instrução para o G5.

ESPECIFICAÇÕES

Equipado com o Chipset Snapdragon 430, temos um aparelho com:

- CPU Octa-core (1.4 GHz) Cortex-A53

- GPU Adreno 505

- 2GB de RAM

- 32GB de armaz. interno (com suporte microSD)

- Wi-Fi a/b/g/n (dual-band)

- Bluetooth v4.2

- GPS/GLONASS

- Leitor de impressões digitais (frontal)

Durante nosso período de testes a versão do Android que equipava o modelo era a v7.0 (Nougat).

DISPLAY e MULTIMÍDIA

Na frente do G5 temos uma tela IPS LCD de 5.0" FHD (1080p) com aprox. ~441 ppi de densidade. Ela conta com proteção Gorilla Glass 3.

Ao pegar o aparelho de uma superfície é possível notar que a tela acende suavemente, exibindo um relógio e informações rápidas para o usuário.


USABILIDADE e DESEMPENHO

O modelo não conta com Android puro, nem customizado. É um limbo especialmente criado pela Lenovo, onde existe alguma mudança e não há, ao mesmo tempo.

Praticamente todo o sistema é o Android puro como deveria ser, mas existem alguns widgets (como o relógio circular da marca) presentes ali, e isso se aplica ao relógio customizado na tela ambiente, que mostra um "degradê" desnecessário para a função.

Gradativamente a Lenovo está mudando a quase-pureza do que a linha Moto significa, mas por hora nada alarmante está no sistema. Apenas fica o aviso de que PURO (PURO), não é - mas é bem próximo.

CÂMERAS

Equipando o Moto G5, temos um sensor de 13MP na traseira com detecção de fase e gravação de vídeos em 1080p@30fps.

Realizamos várias sessões de fotos com o G5, e notamos que não apenas bons resultados rondam o aparelho. Se você basear-se no G4 para imaginar a câmera do G5, vai ter algumas surpresas.

Com certa frequência notamos fotos estouradas (luz branca) nas fotos que (teoricamente) teriam esse fato estabilizado e corrigido pelo processamento HDR.

O ruído alto é suavizado pelo HDR, porém a função real do recurso tem eficácia mediana.

Na frente do aparelho temos uma câmera de 5MP que funciona com o que você espera para selfies descompromissadas. Nada de especial e nem ruim. As fotos ficam com detalhes visíveis de pós-processamento para aliviar o granulado, o que acaba resultando em menor qualidade de detalhes no rosto, por exemplo.

 

BATERIA e ACESSÓRIOS

Dentro do Moto G5 temos uma bateria de 2800 mAh (com carga rápida). Executamos nossos testes de sempre com apenas Wi-Fi conectado no modelo e brilho máximo executando streaming contínuo.

Notamos uma descarga média que varia de 10 a 11% por hora de execução de conteúdo, um forte indício de que o Moto G5 consegue chegar com facilidade ao fim do dia com carga restante, mesmo para usuários muito ativos ou mais exigentes.

Porém, ele não traz um carregador rápido incluso. Temo sum carregador de 5V a 2A, que é satisfatório, mas deixa muito a desejar.

VALE A PENA?

Você que tá pensando em fazer o upgrade do Moto G3 para o Moto G5, vale a pena. Você vai acabar perdendo a proteção contra água que o Moto G3 tem, é um pequeno porém.

Você que tá indo de um G4 para o G5, não vale a pena. o G4 acaba tendo um processador um pouco melhor, a câmera se sai um pouquinho melhor. Não tem um salto tecnológico suficiente para faezr este upgrade.

Agora preço. Promoções acontecem, o valor do aparelho muda muito d eloja para loja. Então vamos às faixas de preço. Se o Moto G5 estiver custando de R$ 1.200 a R$ 1.500, ele valeria mais se custasse um pouco menos, mas nessa faixa ele se encaixa. É a mesma faixa em que você encontra o Zenfone 3 e o Xperia XA, que são bons aparelhos, com a câmera um pouco melhor e design diferente.

Saltando para a faixa de R$ 1.800 temos o Galaxy A 2017, que tem um design mais bonito, e o Moto Z Play, que tem mais bateria, câmera melhor e é quase um high-end, que te dá um desempenho melhor. E ele aceita Moto Snaps, diferente do G5.

E acima de R$ 1.800 chegamos no Moto Z, o topo de linha do ano passado, bem melhor que o Moto G5 e tem também o LG G5 SE, que é o intermediário/topo de linha da LG.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome