Samsung Gear Fit2 GPS Sport Band [Análise]

Por Adriano Ponte RSS

Qual a semelhança entre smartwatches e sport bands? Basicamente, eles fazem quase a mesma coisa: mostram as horas, monitoram atividades físicas e replicam notificações do seu smartphone. A diferença, então, fica por conta das limitações: uma sport band tem menos recursos e é menos independente.

Mas estamos aqui para falar de sport bands, no caso, o Gear Fit2, a nova versão da pulseira inteligente da Samsung. Está curioso para saber se ele dá conta do recado? Então, confira mais uma análise completa.

Personal trainer de pulso

Custando entre R$ 1.100 e R$ 1.300, o Gear Fit2 tem como proposta justamente corrigir falhas de outros dispositivos de pulso inteligentes da Samsung, funcionando como um companheiro menos caro, muito bonito e totalmente focado na prática esportiva. De cara, precisamos concordar em algo: a tela Super AMOLED sensível ao toque de 1,5 polegadas é sensacional.

Samsung Gear Fit2 GPS Sport BandEle não é um smartwatch, mas é quase isso. (Foto: Canaltech)

O design do display se adapta perfeitamente a um bracelete, ou seja, combina muito bem com o Gear Fit2. A telinha tem resolução de 216 x 432 pixels e exibe letras e linhas de forma bastante nítida, mesmo em formas menores. O toque aqui também é agradável, aprimorando a experiência de deslizar pelas telas e menus.

O conforto se estende ainda à textura de borracha siliconada da pulseira, complementando assim um encaixe bem confortável no pulso. Para auxiliar a experiência,  a lateral do dispositivo é equipada com dois botões, um para levar você ao menu e outro para retornar à tela anterior.

Dando vida a este pequeno notável nós temos um processador dual-core de 1 GHZ e 512 MB de memória RAM. Além disso, há ainda 4 GB para armazenamento interno, GPS, acompanhamento de frequência cardíaca, acelerômetro, giroscópio, barômetro e suporte para conexões Wi-Fi e Bluetooth

Para usar o Gear Fit2, você precisa ter também um dispositivo Android — ele não é compatível com iPhones. O smartphone deve contar com a versão 4.4 ou superior do sistema mobile do Google e ter mais do que 1,5 GB de RAM. Durante os nossos testes, o tempo de resposta da pulseira se mostrou satisfatório, então, a integração aqui não é nada problemática.

Conectar a sport band ao seu portátil é simples: basta procurar o app Samsung Gear na Play Store e pronto. Depois de instalado, você tem acesso ao bracelete por meio do celular e pode gerenciá-lo de maneira prática. Para monitorar a sua saúde, basta fazer o download do app S Health na Play Store.

Monitorando tudo

O Gear Fit2 conta passos, calorias, andares que você subiu de escada... Enfim, ele monitora você o tempo todo. Ele sabe quando você dormiu e por quanto tempo permaneceu assim, sabe o quanto você andou durante o dia e também se você correu ou não. Ele mistura todos estes dados com informações sobre a sua pulsação, sendo um ótimo acessório para quem deseja acompanhar seu desempenho durante atividades físicas ou uma simples caminhada entre o ponto de ônibus e o trabalho.

Samsung Gear Fit2 GPS Sport BandGear Fit1 monitora todas as suas atividades. (Foto: Canaltech)

Se preferir, você pode usar a smart band sem o seu celular por perto: ela registra o seu percurso por meio da função de GPS e, posteriormente, integra os dados com o aplicativo instalado em seu smartphone. Quem realiza atividades mais específicas também está contemplado aqui, pois há uma lista de exercícios nos menus do Gear Fit2.

Limitações

Este dispositivo roda o Tizen, o sistema proprietário da Samsung. A insistência nesta plataforma em um mundo em que Android é praticamente onipresente é quase um suicídio. O resultado disso? Não há aplicativos para complementar a sua experiência e o bracelete se torna inútil quando você não pode integrá-lo a outros recursos presentes em seu smartphone.

Quer um exemplo? Nada de ver um cartão do Uber com informações úteis sobre uma corrida que está prestes a começar, nem mesmo o Google Now anotando as tarefas diretamente do seu pulso por meio de comandos de voz. Fora que alertas e notificações aqui basicamente se resumem a “pegue o seu celular”, sem que nem mesmo uma função básica de excluir itens está presente.

Um dos carros-chefe do Gear Fit2 é o seu player de música, e basta puxar a tela para baixo para acessar a função que permite a você ouvir os seus arquivos MP3 via Bluetooth. Isso significa que não adianta tentar usar Spotify, Google Music, Deezer ou qualquer outro serviço de streaming de música: o Gear só vai reproduzir aqueles arquivos MP3 soltos na memória do seu celular, o que é bastante frustrante.

E os problemas não terminam por aí: movendo o Gear, nós temos uma bateria de 200 mAh. Em nossos testes, conseguimos usar o aparelho durante pouco mais de um dia antes de recarregá-lo novamente — o carregador incluso no kit do aparelho faz a recarga por meio de indução magnética. Mas por ser um dispositivo falho, com quase nenhuma integração relevante com o smartphone e quase nenhum app próprio, esperávamos pelo menos o dobro de autonomia. 

Samsung Gear Fit2 GPS Sport BandAs falhas do Gear Fit2 acabam comprometendo a experiência. (Foto: Canaltech)

Outra falha: não tome banho com o Gear Fit2. Ele é apenas resistente à água e, apesar da certificação IP68, não é recomendável expô-lo à água durante muito tempo. O que é ruim, pois dispositivos assim têm a obrigação de aguentar muito mais do que isso, afinal eles ficam grudados em seu corpo.

Mais um ponto negativo: sabemos que ele não é um relógio, mas até o Galaxy S7 tem um belo relógio sempre ativo, então por que o Gear não pode trazer um sistema Always On decente? O recurso sequer vem ativado por padrão, então, você precisa ir às configurações de ativar a função que permite ver horas com mais facilidade em um dispositivo preso ao seu pulso. Além disso, a forma como ele funciona favorece o gasto desnecessário de energia, pois permite ser ativado de maneira acidental a quase todo o instante.

Vale a pena?

Enfim, temos aqui um dispositivo muito bonito, construído com excelência e com preço “aceitável”, mas que peca demais na usabilidade. Você pagaria mais caro em um smartwatch ou mesmo em uma smartband com usabilidade aprimorada? Toparia deixar visual e qualidade de construção de lado para ter um gadget mais inteligente? 

São estas as perguntas que você tem que responder para decidir se o Gear Fit2 vale a pena ou não — conte-nos as suas respostas aí nos comentários!

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome