Notícias

Melhor celular da Xiaomi: veja os modelos para comprar agora

Por Diego Sousa | 09 de Agosto de 2021 às 13h27

A Xiaomi lança dezenas de smartphones durante o ano, alguns, inclusive, muito parecidos, e acaba sendo normal ficar em dúvida sobre qual deles é o melhor para comprar. Só no Brasil, por exemplo, a chinesa tem em seu portfólio mais de 21 celulares, entre topos de linha, intermediários e modelos básicos.

Nos últimos meses, o Canaltech testou muitos desses aparelhos para elencar, com propriedade, qual é o melhor celular da Xiaomi para comprar no Brasil. Portanto, se você é fã da marca e está pensando em adquirir algum modelo, continue a leitura para conferir!

Critérios de avaliação

Como a Xiaomi vende muitos aparelhos aqui no Brasil, decidimos categorizar os nossos escolhidos nas seguintes avaliações: o melhor celular no geral, ou seja, o que entrega um conjunto ideal para a maioria dos consumidores; o melhor smartphone para tirar boas fotos; o melhor para quem prioriza autonomia de bateria; o melhor baratinho da chinesa; e o melhor custo-benefício.

Lembrando que, se você curtir as nossas indicações, deixaremos links de compra confiáveis durante a matéria. Sem mais delongas, vamos aos escolhidos!

Melhor celular da Xiaomi no geral

Comecemos pelo melhor celular da Xiaomi para quem procura um conjunto de especificações equilibradas e que não decepciona em praticamente nenhum departamento. O Poco F3, já testado pela analista Jucyber, é um dos modelos mais completos da atualidade na categoria que se enquadra.

Poco F3 tem especificações topo de linha e um preço mais em conta (Imagem: Ivo/Canaltech)

Conforme apontou a análise completa, o Poco F3 se destaca principalmente pela tela Super AMOLED com taxa de atualização de 120 Hz e resolução Full HD+, que entrega cores extremamente vivas, ótima definição, contraste infinito e alta fidelidade de tons escuros.

O design é bastante elegante e resistente, já que prioriza materiais mais premium como vidro Gorilla Glass 5 e módulo fotográfico robusto. Além disso, o kit de conexões é muito atual, incluindo a presença da tecnologia 5G, Bluetooth 5.1, USB-C, sensor infravermelho, Wi-Fi ax (Wi-Fi 6) e NFC.

Internamente, o chamariz é o Snapdragon 870, atualmente um dos chipsets mais potentes do mundo Android. Ele trabalha com até 8 GB de RAM e 256 GB de armazenamento interno, combinação que garante uma multitarefa excelente e ótimo desempenho em jogos e aplicativos.

Inclusive, segundo a analista Jucyber, jogar no Poco F3 é uma experiência melhor do que em alguns modelos gamer, mesmo sem ter gatilhos e outros recursos na construção. O chipset Snapdragon 870 mantém a temperatura do aparelho baixa o tempo todo, o que ajuda diretamente no desempenho do celular.

O conjunto fotográfico também é outro acerto. São três câmeras traseiras, sendo uma principal de 48 MP, uma ultrawide de 8 MP e uma macro de 5 MP. A qualidade geral é muito boa para o segmento premium, com destaque para a lente que fotografa objetos em curta distância com muitos detalhes e nitidez.

Melhor celular da Xiaomi para fotos

Eleito o melhor celular do mundo para fotos entre março e julho deste ano segundo o DXOMARK — veículo referência no assunto —, o Mi 11 Ultra é atualmente o principal aparelho da Xiaomi para os criadores de conteúdos. Ele tem três câmeras traseiras, sendo uma principal de 50 MP com sensor de 1/1,12’’ — um dos maiores do mundo —, uma ultrawide e uma telefoto, ambas de 48 MP.

Sem dúvidas, o Mi 11 Ultra é o melhor smartphone para fotos da Xiaomi (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Infelizmente, o Canaltech ainda não teve acesso ao poderoso Mi 11 Ultra — o que estamos providenciando. No entanto, segundo a análise do DXOMARK, o smartphone premium da Xiaomi entrega excelentes níveis de detalhes em todas as lentes, amplo campo de visão na câmera ultrawide, foco automático ultrarrápido e bom alcance dinâmico em quase todos os cenários. Leia o artigo completo na íntegra.

Melhor celular custo-benefício da Xiaomi

Sem dúvidas, o melhor celular custo-benefício da Xiaomi é o Poco X3 Pro, o verdadeiro sucessor do ‘flagship killer’ Pocophone F1, de 2018. No Brasil, ele pode ser encontrado por preços entre R$ 1,6 mil e R$ 2 mil e entrega um excelente desempenho em jogos, cortesia do chipset Snapdragon 860, além de câmeras competentes, bateria de longa duração, carregamento rápido e alto-falantes potentes.

Poco X3 Pro tem chipset de topo de linha e preço de intermediário (Imagem: Ivo/Canaltech)

Recentemente, tive a oportunidade de testar o Poco X3 Pro por alguns dias e o que mais me chamou a atenção foi a sua potência para jogos. Mesmo com preço de intermediário, o smartphone tem um processador da linha Snapdragon 800 que roda qualquer tarefa da Play Store, sejam jogos pesados ou aplicativos de realidade aumentada. Os 8 GB de RAM e 256 GB de memória também são ideais para quem busca passar muitos anos com o aparelho.

A tela do Poco X3 Pro tem 6,67 polegadas com resolução Full HD estendida e painel IPS LCD. Embora ele não traga o tão querido AMOLED, disponível em muitos aparelhos intermediários e premium da Samsung, as imagens são bem definidas, o brilho máximo é agradável e a reprodução de cores é decente. Os 120 Hz de taxa de atualização é outro destaque, garantindo uma navegação bastante fluida.

Na bateria, os 5.160 mAh do celular da Xiaomi também se destacam positivamente, mantendo uma ótima autonomia mesmo com um processador mais poderoso. Diferentemente de outros aparelhos com chipsets topo de linha, o Poco X3 Pro consegue chegar ao segundo dia de uso com sobras. Com relação ao carregamento, os 33 W do smartphone enchem seu tanque completamente em menos de uma hora.

Por fim, nas câmeras o aparelho não faz feio: a principal de 48 MP consegue captar mais luz, oferecendo níveis mais altos de detalhes, balanço de branco equilibrado e cores mais vivas. Já o sensor ultrawide de 8 MP não distorce muito as imagens e o pós-processamento é decente.

Melhor celular barato da Xiaomi

A linha Redmi é referência quando o assunto são smartphones de entrada e intermediários, portanto não poderíamos deixá-la de lado. O Redmi 9, por exemplo, é um aparelho mais básico que pode ser encontrado por cerca de R$ 1.000 e entrega um conjunto de especificações bastante interessante para quem procura navegar em redes sociais e jogar casualmente.

Redmi 9 é um baratinho de R$ 1.000 com boas configurações (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Na análise completa do Canaltech, o analista Adriano Ponte destaca que o Redmi 9 é um celular que faz o básico bem feito. A tela, por exemplo, tem 6,53 polegadas com resolução Full HD+, característica incomum entre modelos mais simples. Outro ponto positivo é o painel é IPS LCD com pico de brilho de 400 nits, garantindo definição aceitável e boas cores.

Por dentro, o Redmi 9 recorre ao chipset Helio G80 da MediaTek, equivalente ao Snapdragon 665. Aliado a 4 GB de RAM e 64 GB de memória, temos um aparelho competente para redes sociais e jogos mais simples. A bateria de 5.020 mAh é outro acerto, prometendo cerca de dois dias de autonomia sem problemas.

Quando o assunto são câmeras, o Redmi 9 tem quatro na traseira, com uma principal de 13 MP e foco rápido, além de uma ultrawide de 8 MP, uma macro de 5 MP e uma de profundidade, de apenas 2 MP. Para selfies, são 8 MP com suporte a HDR. A qualidade de imagem, novamente, é bem básica, mas satisfatória para o preço.

Melhor celular da Xiaomi com foco em bateria

Se você prioriza autonomia de bateria, o Poco M3 é a sua escolha. Com um tanque de 6.000 mAh, o smartphone intermediário da Xiaomi traz configurações mais simples que auxiliam positivamente no consumo de energia. Inclusive, segundo o analista Pedro Cipoli, o basicão foi um dos aparelhos de 2020.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Segundo os testes, o tanque do Poco M3 é suficiente para dois dias de uso médio a pesado, sobrando carga para um terceiro dia. Além disso, pode esquecer aquela situação onde você sai de casa e fica com medo de não sobrar carga no fim do dia.

Ainda com relação à bateria, o basicão da Xiaomi já vem com um carregador rápido na caixa, enchendo todo o tanque do smartphone em cerca de três horas — ainda pode parecer muito tempo, mas já ajuda bastante.

Além da bateria, o Poco M3 tem um conjunto decente para a maioria das tarefas. A tela de 6,53 polegadas tem resolução Full HD+ e painel IPS LCD, trazendo uma qualidade bastante próxima a de diversos Moto G.

Quando o assunto é processamento, o celular da chinesa roda o Snapdragon 662 da Qualcomm, aliado a até 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno. Em termos práticos, você consegue jogar alguns títulos mais simples sem problemas, além de uma multitarefa bem interessante.

E aí? Tem algum celular da Xiaomi ou está pensando em comprar? Confira os links especiais que preparamos para você e aproveite!

Trending Canaltech

Internet

PSG x RB Leipzig: onde assistir à Champions League online e de graça

Meio ambiente

Os 10 animais mais bonitos do mundo

Espaço

Como é ouvir os sons de Marte? Sinta-se no Planeta Vermelho com essas gravações!

Mais sobre Smartphone

iOS

Como responder mensagens de texto no iPhone automaticamente

Podcast Canaltech

CT News em Podcast - Google lança Pixel 6 com novo chip interno e mais!

Smartphone

LANÇAMENTO DA APPLE | iPhone 13 já mais barato em oferta no Brasil