OEX Bionic Reloaded é teclado gamer com robustez, macros e preço baixo

O clássico ditado “em time que está ganhando não se mexe” não serve muito para a OEX, que com sua presença em eventos de e-Sports e feiras de games vem chamando bastante atenção no mercado nacional. Foi justamente essa ampla penetração no mercado nacional e o gosto dos jogadores pela marca que levou a empresa a atualizar um de seus periféricos mais vendidos, o teclado Bionic TC 601.

A nova versão deve substituir a anterior no mercado, pois retém o mesmo nome de modelo, mas adiciona a alcunha Reloaded a seu título. E essa é, justamente, uma boa forma de definir o acessório, que mantém a qualidade e, principalmente, o preço baixo que chamou a atenção na versão original e faz algumas adições que o tornam ainda melhor, apesar de abandonar, por outro lado, alguns elementos que chamavam a atenção no antecessor. O valor sugerido é de R$ 319.

Estamos falando de um teclado mecânico com switches Outemu Blue e teclas 100% anti-ghosting. E é justamente aqui que está o grande upgrade do Bionic Reloaded e também o aspecto que deve chamar mais a atenção dos gamers que não desejam gastar muito. A versão anterior contava com botões Plunger e trazia o sistema que combatia os fantasmas na digitação em apenas 26 teclas

O resultado disso é um teclado que mostra a que veio desde a primeira digitação, com teclas fundas e um bom feedback tátil. O tão delicioso barulho dos cliques deve soar como música aos ouvidos dos gamers mas também não incomodará os outros presentes na sala, com ruído equivalente ou até mesmo menor do que outros teclados da mesma categoria, sendo pronunciado e perceptível, mas não alto demais.

Switches Outemu Blue podem ser mais indicados para digitação, mas o Bionic Reloaded, da OEX, não deixa a desejar nos jogos (Imagem: Felipe Demartini)

Afinal de contas, estamos falando de um teclado que opta pelos switches azuis, mais indicados para digitação, justamente, por conta dos ruídos que podem fazer maravilhas até mesmo em prol da produtividade. Entretanto, os jogadores também não devem ficar para trás com o Bionic Reloaded, que como uma boa oferta de baixo custo, dança de acordo com a música e também apresenta boa performance e tempo de resposta durante a jogatina.

Os pressionamentos não cansam os dedos e são bastante leves, com o dispositivo podendo ser recomendado tanto para longas horas de jogatina quanto para o trabalho. Logicamente, a escolha por um teclado gamer com switches Blue fica a critério de cada usuário e, principalmente, como ele lida com a histerese, a distância mínima de soltura da tecla antes de ser apertada novamente. Caso você não tenha problemas com isso, pode começar a pensar em adquirir um Bionic Reloaded.

Quem trabalha tanto quanto joga, ainda, deve ver vantagem no fato de o teclado adotar o padrão ABNT 2. A presença da tecla Ç e o posicionamento de botões mais adequado ao nosso idioma, mais uma vez, faz maravilhas quando o assunto é a produtividade, além de constituir uma proposta que não é encontrada com facilidade no mercado nacional, mas que vem se tornando um fator ao qual as fabricantes cada vez mais dão atenção. Ponto para a OEX por ser uma das poucas a apresentarem esse tipo de atributo nas prateleiras nacionais.

Pezinhos não possuem borracha, mas OEX Bionic Reloaded é pesado, permanecendo firme sobre a mesa (Imagem: Felipe Demartini)

Outros aspectos também chamam a atenção durante o uso prolongado. Por ter chassi em aço, o Bionic Reloaded é consideravelmente pesado, o que faz com que ele não fique sambando na mesa mesmo quando colocado diretamente sobre a madeira. A ausência de borracha nos pezinhos robustos do dispositivo não é um revés, apenas um detalhe a ser observado em um teclado bem construído quando observado de maneira geral.

Detalhes e cuidados

Ao atualizar seu dispositivo, a OEX parece ter tido o cuidado de manter alguns quesitos intocados, enquanto outros receberam uma atenção para se tornarem mais funcionais. O Bionic Reloaded, por exemplo, é ainda mais compacto do que a versão original, pois continua abrindo não do teclado numérico, mas também abandona a coluna de teclas macro. O recurso não foi deixado de lado, mas sim, deixou de ter botões dedicados na lateral esquerda.

O teclado Bionic Reloaded, da OEX, abre mão de teclas dedicadas aos macros (mas mantendo recurso) para se tornar ainda mais compacto (Imagem: Felipe Demartini)

Agora, os macros aparecem acima dos botes de Y a P e são ativados em conjunto com a tecla FN. Em uma mudança que pode chamar a atenção em termos de usabilidade, entretanto, o botão Rec, que servia apenas para gravar as combinações de comandos, também se foi, aparecendo agora juntamente com o Esc.

Ainda falando sobre o botão FN, vale a pena citar mais uma atenção ao posicionamento de botões, com os controles de volume anexos aos botões F10 e F11, permitindo o acionamento com uma mão só. É um pequeno detalhe, novamente, mas que ajuda na usabilidade e deve agradar aos mais detalhistas.

O Bionic Reloaded não exige software para operação, com toda a configuração acontecendo a partir de combinações de comandos no próprio teclado. Nada demais, já que essa é uma abordagem comum do teclado, mas há de ser citado o fato de que o site da OEX não traz o manual para download, nem é possível encontrar essa documentação online.

Ou seja, se você perder a versão física que acompanha o produto na embalagem, pode passar por maus bocados caso esqueça alguma das inúmeras combinações utilizadas para regular cores, padrões de backlight e a configuração dos próprios macros. As indicações nas próprias teclas ajudam, mas podem confundir também.

Esquemas de iluminação do OEX Bionic Reloaded também incluem modo voltado a determinados gêneros de games (Imagem: Felipe Demartini)

Além disso, em mais um daqueles incômodos que podem existir para alguns, mas não para outros, a OEX mantém o aspecto colorido do teclado, com cada linha do Bionic Reloaded sendo de uma cor. Não é possível alterar a ordem ou deixar todos os LEDs com um único tom, em um aspecto que pode chamar a atenção negativamente de quem preferiria não ter um carnaval de cores em cima da mesa.

Alguém tem que ceder

Ao atualizar o teclado Bionic, a OEX mexeu aqui e ali e, no processo, acabou também retirando algumas funcionalidades que poderiam aprimorar ainda mais o conjunto. O modelo Reloaded ganhou as luzes que indicam o pressionamento das teclas Caps e Scroll Lock, por exemplo, mas, ao mesmo tempo, perdeu o cabo removível e trançado, que adicionava ainda mais resistência ao produto.

Remover o teclado do computador sem precisar se embrenhar atrás dele era uma boa para quem o carregava por aí para competir ou participar de lan perties com os amigos, enquanto a segurança de se ter um cabo micro USB dava aquela segurança de saber ser possível uma substituição simples e barata em caso de problemas. Agora, entretanto, temos um fio tradicional de borracha, com 1,8m de comprimento, que abre mão de tais aspectos.

Com Bionic Reloaded, OEX atualiza teclado campeão de vendas e deve marcar ainda mais presença no segmento de periféricos de baixo custo (Imagem: Felipe Demartini)

Da mesma forma, o chassi tem um detalhe nas laterais que pode propiciar o acúmulo de poeira, mas, felizmente, sem dificultar a limpeza como acontece com outros modelos da concorrência. Por outro lado, dá para enaltecer o resultado mais elegante trazido por esse aspecto, tornando o acessório um item dos mais bonitos do setup.

Com a atualização, o Bionic Reloaded se sagra ainda mais no segmento de teclados gamers de baixo custo, mantendo a OEX como um nome a ser levado em conta pelos jogadores que não querem investir pesado em um equipamento desse tipo. Aos mais preciosistas, a ausência de botões dedicados aos macros ou do cabo removível podem incomodar, mas a ideia geral é que a fabricante substitui tais aspectos por outros igualmente interessantes, como a presença dos switches mecânicos Outemu Blue e o sistema anti-ghosting em todos os botões.

Na balança entre o que entrou e o que saiu, o resultado é de uma qualidade ainda maior que a versão anterior, com o Reloaded do nome podendo muito bem ser substituído, também, por Upgraded. Há um motivo pelo qual o Bionic se tornou o teclado mais vendido da OEX, com essa versão parecendo garantir que ele permaneça no topo.

A unidade analisada foi gentilmente cedida ao Canaltech pela OEX.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.