Médicos americanos alertam para o risco na utilização de carregadores genéricos

Por Felipe Demartini | 04 de Agosto de 2019 às 20h30

Uma publicação da Universidade Americana de Médicos de Emergência (ACEP, na sigla em inglês) alertou sobre os riscos na utilização de carregadores genéricos para smartphones. No estudo, os pesquisadores apontaram para um aumento nos casos de acidentes e queimaduras decorrentes de fontes desse tipo, principalmente entre os jovens, mais propensos a utilizarem os celulares em ambientes de risco.

As conclusões foram publicadas nos Anais de Medicina Médica, jornal científico que traz estudos e informações para os profissionais da área de atendimento de emergência. A edição mais recente inclui diferentes relatos de problemas causados pelos carregadores genéricos, e cita testes realizados por organizações do Reino Unido, como a Electrical Safety Fist, que mostram que 58% das fontes de energia não-oficiais deixam de apresentar as proteções necessárias contra picos de tensão e instabilidades na rede elétrica.

Na melhor das hipóteses, a utilização destes artigos pode causar danos aos aparelhos ou a fiação das residências, mas o problema começa quando as pessoas também são atingidas. A ACEP aponta para um aumento de atendimentos de emergências entre crianças e jovens que usam smartphones e tablets na cama, por exemplo, ou dormem com os dispositivos a seu lado.

Um caso grave citado é o de uma jovem de 19 anos que sofreu graves queimaduras. Ela dormia usando uma corrente de metal e com o smartphone sob o travesseiro; acordou sentindo dor e uma sensação de queimação, resultado de problemas de isolamento elétrico do carregador, que de alguma maneira entrou em contato com o adereço e levou a corrente ao pescoço da garota.

As recomendações são as mesmas de sempre: o ideal é que os usuários não durmam com os smartphones sobre a cama, enquanto conectados à tomada, e evitem utilizar os aparelhos durante o carregamento. Além disso, é importante não manter as fontes ligadas enquanto não estiverem sendo utilizadas, de forma a evitar problemas de funcionamento e stress sobre os equipamentos.

Do contrário, as situações podem variar de incêndios e perdas materiais até queimaduras de primeiro e segundo grau, que exigem um processo doloroso de recuperação. O jornal médico cita, ainda, que a eletricidade pode causar alterações na frequência cardíaca, levando a problemas adicionais que podem colocar a vida dos atingidos em risco.

A recomendação é que, caso a compra de modelos oficiais não seja possível devido ao alto custo desses aparelhos, os usuários busquem acessórios alternativos fabricados por marcas reconhecidas e certificadas. A maioria das fabricantes, como a Apple, possui programas de reconhecimento de fabricantes de equipamentos, que garantem que os produtos estão de acordo com normas de qualidade.

Fonte: ACEP

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.