Engenheiros encontram maneira de colher energia do vento a partir de árvores

Por Redação | em 15.02.2016 às 08h40

árvore

A colheita de energia elétrica a partir de vibrações ou outro tipo de tensão mecânica é fácil. Para conseguir piezeletricidade, por exemplo, basta submeter certos materiais cristalinos a um estresse mecânico para que eles desenvolvam uma carga elétrica.  Um exemplo clássico é o isqueiro elétrico.

Um estudo realizado por engenheiros do Laboratório de Acústica e Vibrações de Ohio, nos Estados Unidos, visa demonstrar um novo sistema piezelétrico. A ideia básica por trás da plataforma de captação de energia proposta pelos pesquisadores é a seguinte: explorar as ressonâncias internas naturais das árvores em pequenas florestas artificiais para gerar tensão suficiente para ligar sensores e sistemas de monitoramento estrutural.

Basicamente, eles querem usar o poder piezelétrico produzido pela flexão de uma árvore durante uma ventania. Mas como isso pode ser possível, afinal, e é diferente de rodar um moinho de vento? Acontece que os pesquisadores descobriram que é possível converter o intervalo relativamente aleatório de frequências de vibração em energia útil, explorando a frequência de ressonância natural de estruturas parecidas com as árvores. Essa frequência de ressonância pode ser imaginada como uma espécie de parede ou barreira que absorve e armazena as energias provenientes da vibração das frequências mais altas.

O documento científico usa uma metáfora para explicar este tipo de frequência de ressonância. Imagine uma multidão andando em uma ponte. Todos os pedestres estão pisando com frequências diferentes, mas alguns coincidem com a frequência de ressonância da ponte e, por isso, a frequência é amplificada. Neste caso, parte da energia criada pelos passos é capturada pela ponte devido à sua ressonância.

A constatação matemática inicial do estudo mostrou que é realmente possível capturar energia útil a partir do vento aleatório. Para os testes, os engenheiros utilizaram uma construção em formato de árvore, com pequenas vigas de aço embrulhadas em fluoreto de polivinilideno (PVDF), um material piezelétrico. Eles conseguiram produzir cerca de 2V durante os testes. 

No entanto, este estudo é, principalmente, uma prova de conceito, ou melhor, uma refutação do pressuposto de que as vibrações do vento não podem ser utilmente colhidas. Não espere ver pequenas florestas de metal espalhadas pela cidade para captar energia e abastecê-las, mas ainda assim é uma ideia legal.

Via Vice

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar