Ataque hacker leva ao vazamento de cinco filmes inéditos da Sony Pictures

Por Redação | em 01.12.2014 às 12h14

Fury

O ataque hacker aos sistemas internos da Sony Pictures, revelado na última sexta-feira (28), continua tendo seus efeitos. Após a divulgação de documentos confidenciais da empresa, como orçamentos de longas, projetos em andamento e até mesmo dados pessoais de atores contratados pela produtora, também foi confirmado o vazamento de pelo menos cinco novos filmes do estúdio, sendo que quatro deles sequer chegaram aos cinemas.

A produção de maior destaque a fazer parte da brecha é “Corações de Ferro”, drama de guerra estrelado por Brad Pitt que já foi baixado mais de 880 mil vezes e figura entre os dez filmes mais pirateados da semana. Como destaca o site da Variety, a cópia vazada é a mesma que seria enviada para membros de júris de prêmios internacionais, contendo marcas d’água e outras indicações de propriedade. Isso também significa que elas trazem imagens com boa qualidade, muitas vezes similares à de um DVD.

Os outros filmes vazados são “Annie”, protagonizado por Julianne Moore, cuja estreia está marcada para daqui a três semanas; “Mr. Turner, “Still Alice” e “To Write Love on Her Arms”. Os três últimos também ainda não deram as caras nas salas de cinema dos Estados Unidos e vêm tendo bons números de downloads em sites de compartilhamento de arquivos.

Todas as cópias estariam no pacote de mais de 11 GB de dados que os hackers do grupo identificado como "The Guardians of Peace" roubaram dos servidores da Sony em um ataque que começou na última segunda-feira (24). A empresa mantém o silêncio sobre o assunto, o que dificulta a precisão exata do que foi roubado e de que maneira os ataques aconteceram.

Informações publicadas pelo Business Insider, porém, indicam que o estúdio já teria pistas sobre a origem dos ataques e que eles poderiam estar ligados ao governo da Coreia do Norte. De acordo com fontes não reveladas, o golpe estaria relacionado ao lançamento do filme “A Entrevista”, com Seth Rogen e James Franco, uma comédia que mostra dois jornalistas trabalhando para a CIA infiltrados no país asiático com o objetivo de matar Kim Jong Un.

O longa já vem sendo citado pelas autoridades norte-coreanas como uma “clara propaganda terrorista” e, em alguns casos, veio acompanhado também dos dizeres “atos de guerra”. Em resposta, o estúdio apenas afirma que se trata de uma comédia e não falou muito sobre o assunto, preferindo se manter em silêncio sobre a questão enquanto trabalhava na divulgação e lançamento do longa.

Embora haja chances do grupo hacker estar trabalhando para o governo norte-coreano, há indícios de que ele esteja sediado fora do país, mais provavelmente na China. As investigações ainda estão em andamento e, oficialmente, a Sony Pictures não falou sobre a questão, mas confirmou o ataque hackers e também os problemas relacionados à sua estrutura interna. Apesar da obtenção de informações corporativas, a empresa deixou claro que não houve vazamentos de dados de clientes e usuários em meio aos arquivos roubados.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar