Brasil entra para a lista dos 10 maiores mercados de tablets do mundo

Por Redação em | 22.12.2012 às 15h38

iPad iPhone

Os brasileiros realmente adotaram o tablet como um de seus gadgets favoritos, e isso fez com que o país saltasse da 12ª posição, que ocupava no terceiro trimestre de 2011, para a 10ª posição no ranking mundial de vendas de novos aparelhos.

Segundo dados revelados pela IDC Brasil e seu estudo de inteligência de mercado, o Brasil vendeu 769 mil unidades de tablets somente no terceiro trimestre de 2012. Mas não para por aí, pois a estimativa é que o balanço geral de aparelhos comercializados no país em 2012 chegue a 2,9 milhões. 

"Diferente do Brasil, em mercados mais maduros, grande parte da população já possui um computador e está mais propenso a comprar um tablet como um dispositivo complementar e utilizá-lo em tarefas de consumo de conteúdo digital. O próximo passo é acelerar o desenvolvimento desses conteúdos digitais adaptados para o português (aplicativos, vídeo, música, livros) para melhorar o uso dos tablets no país" diz Attila Belavary, analista de mercado da IDC Brasil.

E isso realmente condiz com os números de vendas desse tipo de dispositivo em países em desenvolvimento, e aqueles que já possuem um mercado maduro.

Vendas por minuto Brasil Índia Rússia China Estados Unidos
Tablets 6 7 9 22 71

A tendência é que esses números só aumentem, ainda mais porque a expectativa, segundo o estudo da IDC, é que nesse final de ano as empresas ofereçam mais opções de tablets a preços mais acessíveis do que nos anos anteriores. E isso vai chamar a atenção dos consumidores brasileiros, já que eles ainda não estão investindo muito nesse tipo de gadget. Do total de tablets comercializados durante o terceiro trimestre, 46% já possuem um preço inferior a R$500.

O Android também se mostrou uma preferência nacional no quesito tablets, já que 80% dos aparelhos vendidos no país possuem o sistema operacional do Google.

"No ano passado, existiam poucos fabricantes focados na venda de tablets mais baratos. Esse é o primeiro Natal que temos uma grande quantidade de modelos oferecidos a um preço muito atrativo e com mais opções de tamanhos de tela e funcionalidades. Essa redução de preço atrai um novo público e estimula o crescimento da indústria", explica Belavary.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

RECEBA NOSSAS
NOTÍCIAS POR E-MAIL
ASSINE NOSSA NEWSLETTER DIÁRIA