Governo tem fim de semana de ataques a domínios oficiais

Por Redação | em 01.02.2016 às 10h04

MC Bin Laden

O final de semana não foi muito fácil para os especialistas em segurança que trabalham para o Governo Federal. Desde a última quinta-feira (28), uma série de domínios oficiais têm estado sob fortes ataques de negação de serviço desferidos, supostamente, por diferentes grupos hackers que também teriam sido responsáveis pela desfiguração do site da Anatel.

No caso da Agência Nacional de Telecomunicações, a responsabilidade sobre o golpe foi atribuída a um grupo chamado ProtoWave, que deixou uma mensagem criticando a vulnerabilidade do domínio ao som de uma música de MC Bin Laden. O trocadilho com a letra, “tá tranquilo, tá vulnerável”, acompanhava a informação de que apenas cinco minutos foram suficientes para que a invasão acontecesse. “Quando tempo a NSA levaria?”, perguntam os hackers.

Deface Anatel

A desfiguração não aconteceu na home do site da Anatel, mas sim em duas páginas isoladas que foram hospedadas no sistema. A agência, inclusive, foi informada sobre o caso por meio do Facebook em postagens supostamente feitas pelos próprios hackers. No momento em que essa reportagem é escrita, os rastros da invasão já haviam sido retirados do ar.

Outros ataques chegaram a derrubar o site da Presidência da República e causaram dificuldades no acesso a outros domínios, como o Portal Brasil e os sites da Polícia Federal, do Ministério Público e da Receita Federal. De acordo com o Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), os golpes já vinham acontecendo desde o dia 22 de janeiro e, em alguns casos, as páginas chegaram a ser bombardeadas com mais de dois bilhões de solicitações – um volume mais de 90% maior que o usual.

Um ataque de negação de serviço, ou DDoS, consiste justamente nisso – na utilização de redes de computadores zumbis ou servidores para gerar uma demanda muito acima do normal, capaz de estressar servidores ou derrubar sites. A ideia é dificultar o acesso dos usuários e causar prejuízos às vítimas, mas, como afirmaram as autoridades, não existiram invasões ou obtenção de dados sigilosos como parte dos golpes.

Apesar disso, o diretor-presidente do Serpro, Marcos Manzoni, falou em crime e disse que, ao derrubarem os sites do Governo, os hackers lesaram o patrimônio público. Ele disse que as autoridades estão investigando os ataques e, ao mesmo tempo, está sendo implantado um novo sistema de proteção nas páginas que facilitará a identificação dos responsáveis por golpes desse tipo no futuro.

Fontes: Gizmodo Brasil, R7

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar