345 milhões de links piratas foram removidos do Google em 2014

Por Redação | em 06.01.2015 às 08h20

google

Em 2014, os detentores de direitos autorais pediram ao Google para remover mais de 345 milhões de links ligados a pirataria. O número é 75% superior às solicitações do ano anterior. Embora o Google tenha tomado medidas para ocultar os links em sua busca, a quantidade de requisições não para de aumentar.

Nos últimos anos estes pedidos têm aumentado de maneira acentuada. Em 2008, o Google recebeu apenas algumas dezenas de solicitações de remoção, mas hoje é processado mais de um milhão de ligações de links piratas por dia. Apesar do Google não informar o número anual de remoções, o site Torrent Freak analisou todos os relatórios semanais e descobriu que foram exatas 345.169.134 de URLs apresentadas pelos detentores de direitos autorais no ano passado.

Ao serem analisados e removidos, quase todos os pedidos são exibidos com os seguintes dizeres: "Devido uma queixa que recebemos de acordo com a lei americana Digital Millennium Copyright Act (Lei de Direitos Autorais do Milênio Digital), X resultado(s) foram removidos desta página. Para ler a queixa DMCA que causou a remoção, acesse ChillingEffects.org". Ao fazer isso, o Google deixa de ser responsável pelo link pirata em questão, evitando processos por exibir conteúdo pirata aos usuários do buscador.

A maioria dos pedidos de remoção de 2014 foram ligados aos sites 4shared.com, rapidgator.net e uploaded.net, com mais de 5 milhões de URLs cada. O grupo UK Music BPI é o maior detentor dos direitos autorais que solicitaram remoção de links das pesquisas no ano passado, com mais de 60 milhões de URLs relatadas.

Takedown

Apesar do crescente número de remoção, as empresas detentoras de direitos autorais têm enfatizado que o gigante das buscas deve assumir a responsabilidade e criar formas mais eficazes para combater o problema da pirataria. Diante destas críticas, o Google tomou medidas graduais em sua relação com sites e serviços que frequentemente aparecem associados a algum tipo de conteúdo ilegal.

Em outubro do ano passado, a empresa implementou uma mudança significativa em seu algoritmo de busca. O objetivo era reduzir o aparecimento de links de sites que muitas vezes ferem os direitos autorais. Isso reduziu consideravelmente a visibilidade de URLs com conteúdo pirata e teve um grande impacto no nível de tráfego de diversos sites na internet.

Em uma de suas publicações sobre o assunto, o Google também lembrou aos detentores de direitos autorais que "a pirataria muitas vezes surge quando a demanda do consumidor não foi atendida pela oferta legítima. Algumas empresas como Netflix e Spotify tem demonstrado que a melhor maneira de combater a pirataria é com serviços legítimos melhores e mais convenientes. A combinação certa de preço, conveniência e inventário ajudam a reduzir criação de pirataria na internet", disse a companhia.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar