Milhões de usuários do Facebook não têm ideia de que estão usando a internet

Por Redação | em 10.04.2015 às 15h31 - atualizado em 23.06.2015 às 15h04

Facebook iPhone

Mesmo com uma infinidade de redes sociais disponíveis atualmente no mercado, o Facebook ainda reina absoluto no quesito popularidade. Apesar de muitas pessoas terem deixado o site de Mark Zuckerberg de lado, ele ainda é extremamente conhecido em todo o mundo. Essa fama é tamanha que há quem diga que utiliza o Facebook, mas não acessa a Internet

Não estamos falando de simples ignorância a respeito do funcionamento da Internet, mas sim de uma cultura criada em torno dessa mídia social. Enquanto muitos de nós entramos no Facebook após navegar por diversos sites da web, ainda existem milhões de pessoas que entendem as duas coisas separadamente, pois sua primeira interação com a World Wide Web foi feita por meio da rede social – mesmo que a história da World Wide Web tenha começado no início dos anos 1990, e o Facebook só tenha chegado ao mercado mais de 10 anos depois. 

E não pense que essa é uma realidade extremamente distante. Um estudo realizado pelo site Quartz apontou que 55% dos entrevistados brasileiros concordaram com a seguinte afirmação: "O Facebook é a Internet" – em comparação a apenas 5% dos entrevistados nos Estados Unidos.

Pesquisa Quartz

A própria diretora executiva do Facebook, Sheryl Sandberg, admite o poder da rede social. "Nós sabemos que o Facebook é um dos principais fatores pelo qual as pessoas compram smartphones, especialmente em países em desenvolvimento. As pessoas entram nas lojas e dizem: 'Eu quero o Facebook'. Elas confundem o Facebook com a Internet em alguns lugares".

A popularidade é tanta que muitas operadoras oferecem facilidades para acessar o Facebook em seus planos de dados. Há algum tempo, uma parceria entre a rede social e as maiores operadoras do Brasil resultou em uma promoção que dava acesso gratuito ao Facebook por meio do celular, por exemplo.

Pensando em todo esse cenário, o Facebook trabalha para expandir o acesso à web. Um exemplo é o serviço sem fins lucrativos Internet.org, que tem a intenção de oferecer serviços básicos de internet móvel para locais em que ela ainda não está disponível. Recentemente, o CEO da empresa também falou a respeito de um projeto que visa utilizar drones do tamanho de Boeings para distribuir internet pelo mundo.

Mas por que isso é uma coisa ruim?

Apesar desses projetos parecerem bastante altruístas, é fácil entender por que muitos estão preocupados com essa nova forma de monopólio. Obviamente, a neutralidade da rede é o principal problema desse domínio do Facebook sobre a Internet. 

Tim Berners-Lee, o inventor da World Wide Web, disse: "Quando criei a web, eu deliberadamente a construí como um espaço neutro, criativo e colaborativo, aproveitando a abertura que a Internet ofereceu. Minha visão era que qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo, poderia compartilhar conhecimentos e ideias, sem a necessidade de comprar uma licença ou pedir permissão a mim ou a qualquer CEO, departamento do governo, ou comissão".

Sendo assim, uma vez que a web foi concebida como uma plataforma aberta, e não como uma propriedade de qualquer organização privada, o Facebook é uma ameaça a ela, pois é capaz de censurar conteúdos que ele não goste.

Além disso, no final do ano passado a rede social alterou o seu algoritmo e reduziu o alcance de postagens orgânicas, ou seja, não pagas, que tenham um conteúdo "excessivamente promocional". Ou seja, ao mesmo tempo em que a rede social oferece uma ótima forma de propagar uma mensagem, eles querem que você pague para isso.

Por outro lado, Rohan Samarajiva, fundador e presidente da LIRNEasia, organização responsável pela política e regulação em telecomunicações na região Ásia-Pacífico, está certo ao dizer que o Facebook é uma plataforma privada, e não "a Internet aberta que amamos".

Mesmo que tenha sido fundada com a ideia positiva de unir as pessoas, temos que lembrar que o Facebook é um negócio. Na realidade, a única coisa que podemos fazer é especular sobre suas intenções, mas sem dúvidas parece interessante para o Facebook monopolizar as informações e censurar os comentários negativos sobre a empresa.

Uma coisa é certa: a monopolização da informação é algo perigoso.

Fonte: Make Use Of

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar