Anistia denuncia trabalho infantil em fornecedora da Apple, Samsung e Microsoft

Por Redação | em 19.01.2016 às 10h50

Trabalho infantil

Um relatório publicado nesta segunda-feira (18) pela Anistia Internacional e pela Afrewatch denuncia que crianças a partir de sete anos de idade estão sendo utilizadas como mão de obra na mineração de cobalto utilizado para a fabricação de produtos de grandes empresas de tecnologia como Apple, Samsung, Sony e Microsoft, além de fabricantes de automóveis elétricos, como Daimler e Volkswagen.

De acordo com a Anistia, os comerciantes compram minérios extraídos de pequenos produtores de cobalto e depois os vendem para a Congo Dongfang Mining, uma subsidiária da fornecedora chinesa Zhejiang Huayou Cobalt Ltd. Do continente africano, o cobalto chega a três fabricantes de baterias na China e na Coreia do Sul. Essas baterias são posteriormente incluídas em vários dispositivos de grandes companhias.

Ambas as instituições sem fins lucrativos realizaram no ano passado entrevistas com 87 mineradores de cobalto, incluindo 17 crianças, em cinco minas ao sul da República Democrática do Congo. Ainda de acordo com o relatório, como o cobalto não está na lista de minérios que devem ser inspecionados pelo governo dos Estados Unidos, as empresas não são obrigadas a publicarem relatórios de transparência da cadeia de suprimentos. Isso significa que há pouca ou nenhuma regulação no mercado em todo o mundo. Na prática, são as empresas as responsáveis por policiar seus próprios fornecedores.

A Anistia está convidando empresas multinacionais que utilizam o cobalto a começarem a auditar suas respectivas cadeias de abastecimento. No entanto, a Apple afirma que seria impossível determinar a origem do cobalto utilizado em suas baterias. Até mesmo a Zhejiang Huayou Cobalt não estaria disposta a auxiliar, visto que para ela não seria fácil descobrir como o minério está sendo extraído.

"O trabalho de menores nunca é tolerado em nossa cadeia de suprimentos", afirmou a Apple em comunicado. "Estamos atualmente avaliando dezenas de diferentes materiais, incluindo o cobalto, a fim de identificar os riscos trabalhistas e ambientais, bem como oportunidades para a Apple trazer uma mudança eficaz, escalável e sustentável".

A empresa de Cupertino tem submetido seus fornecedores a um rigoroso conjunto de regras e orientações, incluindo relatórios anuais de transparência e iniciativas especiais de financiamento para assegurar condições de vida adequadas para os trabalhadores estrangeiros. Caso algum de seus fornecedores não cumpra com as exigências da Maçã, a empresa impõe sanções ou simplesmente deixa de fazer negócios com a fornecedora infringente.

Fonte: Anistia Internacional

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar