Stephen Hawking prevê extinção da humanidade se não deixarmos a Terra

Por Redação | em 20.01.2016 às 11h35

Stephen Hawking

Não é segredo que Stephen Hawking sempre foi um crítico ferrenho dos avanços tecnológicos, principalmente no que diz respeito ao campo da inteligência artificial. Agora, o físico britânico reforçou seu discurso de que a humanidade, por meio da ciência e da tecnologia, pode causar a própria destruição dentro dos próximos 10.000 anos.

Nesta semana, Hawking foi o convidado de uma série de palestras transmitidas pela BBC Radio 4. De acordo com o físico de 74 anos, o progresso científico e tecnológico tem potencial para criar "novas formas das coisas darem errado", incluindo guerras nucleares, aquecimento global e vírus oriundos da engenharia genética. Na opinião de Hawking, que já bateu várias vezes nessa mesma tecla, a solução para conseguirmos sobreviver está na capacidade de colonizar outros planetas.

"Apesar da possibilidade de um desastre no planeta Terra em um determinado ano poder ser bem baixa, isto vai se acumulando com o tempo e se transforma em quase uma certeza para os próximos mil ou dez mil anos. Até lá, já deveremos ter nos espalhado pelo espaço e para outras estrelas. Então um desastre na Terra [nesse período] não significaria o fim da raça humana, mesmo não conseguindo estabelecer colônias autossustentáveis no espaço nos próximos séculos", destacou.

Quando perguntado qual conselho daria para jovens cientistas, Hawking afirmou ser importante que eles mantenham seu senso de deslumbramento com "nosso vasto e complexo Universo". Embora o avanço da tecnologia seja algo preocupante para as futuras gerações, ele está confiante de que a humanidade sempre encontrará formas de lidar com os problemas que surgirem - mesmo que uma dessas dificuldades seja lidar com a própria extinção.

"Do meu ponto de vista, tem sido uma época gloriosa para estar vivo e pesquisando na área de física teórica. Não há nada como aquele momento Eureka, da descoberta de algo que ninguém sabia antes", disse. "Não vamos parar de progredir, ou reverter [o progresso], então temos que reconhecer o perigo e controlá-lo. Sou otimista e acredito que conseguiremos".

Hawking também afirma ser fundamental conscientizar os novos pesquisadores sobre como o progresso científico e tecnológico está mudando o mundo e ajudar o público a entender isso. "É importante garantir que estas mudanças estejam indo na direção certa. Em uma sociedade democrática, isto significa que todos precisam ter uma compreensão básica da ciência para tomar decisões esclarecidas sobre o futuro. Comunique claramente o que você está tentando fazer em termos científicos e, quem sabe, você pode acabar entendendo também", comentou.

Se vamos conseguir sobreviver aos desastres que nós mesmos causamos, isso só o tempo dirá. Mas as afirmações de Stephen Hawking são apenas mais um combustível para a colonização espacial, que deve começar nas próximas duas décadas com o envio dos primeiros astronautas a Marte.

Fonte: BBC

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar