1

Universidade recebe incentivo de US$ 5 mi para estudar a imortalidade

Por Redação em | 06.08.2012 às 12h55

Universidade da Califórnia

Ao longo dos séculos, questões como a vida após a morte e a imortalidade permeiam a existência dos seres humanos. Cada religião tem sua própria explicação sobre o assunto, mas a ciência também já estuda a imortalidade com base em algumas experiências de quase morte de pacientes que se encontram doentes.

John Martin Fischer estudo imortalidadeO estudo irá analisar as questões biológicas e filosóficas da experiência de quase morte

Recentemente, o pesquisador John Martin Fischer, da Universidade da Califórnia, recebeu uma doação de US$ 5 milhões da Fundação John Templeton para continuar sua pesquisa sobre a imortalidade. A quantia é uma das maiores já distribuídas para uma única universidade nos Estados Unidos.

"As pessoas pensam sobre a imortalidade ao longo de toda a história. Temos uma profunda necessidade humana de descobrir o que acontece conosco depois da morte", afirmou o professor Fischer. "Grande parte da discussão tem sido na literatura, principalmente na fantasia e na ficção científica, e em teologia no contexto da vida após a morte, céu, inferno purgatório e karma. Ninguém deu um olhar abrangente e sustentado à imortalidade, que reúne ciência, teologia e filosofia".

De acordo com o SlashDot, a pesquisa de Fischer será dividida em dois tipos de imortalidade: a possibilidade de viver para sempre e como as religiões vêm a questão da vida após a morte. Na primeira possibilidade, o estudioso irá investigar se existe algum recurso tecnológico plausível e flexível ou se há algum estudo biológico capaz de manter nossa mente viva no futuro.

E na segunda, Fischer irá analisar teologica e filosoficamente os preceitos aplicados em religões como Catolicismo, Budismo, Hinduísmo, Judaísmo entre outras sobre a vida depois da morte e como seus fiéis lidam com esta questão.

O valor total de US$ 5 milhões também irá financiar duas conferências, que serão realizadas no começo e no fim do projeto de pesquisa. Além disso, o projeto também inclui um site que manterá uma série de textos bibliográficos, links de pesquisas publicadas, datas de conferências e um glossário repleto de verbetes sobre imortalidade.

"Nós teremos muito cuidado ao reportar as experiências de quase morte e outros fenômenos, tentando descobrir se esses vislumbres oferecem dados plausíveis sobre a vida após a morte ou são biologicamente ilusões induzidas", relatou John Martin Fischer. "Nossa abordagem será intransigentemente rigorosa e científica. Vamos olhar para as experiências de quase morte e tentar descobrir o que está acontecendo lá - o que é absurdo, o que é promissor e o que é cientificamente desmascarado".

A Fundação John Templeton, localizada na Filadélfia, Estados Unidos, é muito famosa por promover e incentivar pesquisas científicas de alta complexidade e que envolvem os principais questionamentos humanos.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

FIQUE ATUALIZADO
RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS POR E-MAIL