Uber vai usar smartphones dos motoristas para identificar infrações de trânsito

Por Redação | em 26.01.2016 às 12h43

Uber vs Taxi

Em mais uma iniciativa para tornar seus serviços mais seguros e confiáveis, o Uber revelou que vai começar a usar os sensores dos smartphones dos motoristas para identificar infrações de trânsito cometidas por eles. De acordo com a empresa, a ideia é utilizar dados de GPS, giroscópios e outros recursos para saber, por exemplo, quando eles estão dirigindo perigosamente ou acima do limite de velocidade.

As análises acontecerão sempre que um passageiro reclamar de situações desse tipo ou der a um motorista uma avaliação com poucas estrelas. Os motoristas não precisam fazer nada para habilitar o serviço, uma vez que a própria adesão ao app do Uber fará as verificações necessárias e manterá o sistema de monitoramento ativo, algo que a empresa garante que será usado única e exclusivamente para a apuração de eventuais problemas com os clientes.

Além de monitorar melhor seus serviços, outro objetivo é impedir que usuários façam críticas infundadas aos motoristas. Por meio do giroscópio, por exemplo, o sistema será capaz de reconhecer freadas bruscas ou mudanças rápidas de sentido, enquanto o GPS, aliado a dados oficiais de trânsito, pode descobrir o limite das vias e a velocidade percorrida. Caso as informações batam, a reclamação será descartada e a avaliação do profissional não será modificada.

Além disso, a ideia é educar os motoristas e enviar notificações pedindo que eles sejam mais prudentes na direção, principalmente quando estiverem transportando passageiros. Evitar acidentes e problemas, claro, deveria ser a iniciativa principal de qualquer serviço desse tipo, mas no caso do Uber, a questão se torna ainda mais importante devido à “falta de regulamentação” que é citada por muitos dos críticos que querem ver o fim de suas operações.

A falta de verificações profundas quanto aos motoristas do Uber, por exemplo, é um dos principais pontos aqui. E apesar de não falar exatamente desta maneira, fica claro que, com a iniciativa, a empresa deseja não apenas ampliar a fiscalização sobre seus trabalhadores, mas também, implementar sistemas que a coloquem à frente dos serviços de táxi convencionais nesse tipo de análise.

De acordo com o Uber, a novidade deve valer para todos os motoristas ao redor do mundo, mas ainda está em fase de testes nas ruas de algumas cidades em que a plataforma opera. Entretanto, a empresa não disse como vai operar o sistema caso o motorista possua um smartphone sem os sensores necessários para uma análise desse tipo.

Fonte: Uber

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar