Tinder reúne todos os seus participantes em um ranking secreto de desejabilidade

Por Redação | em 15.01.2016 às 18h33

Tinder

O Tinder, provavelmente o mais famoso app de encontros da atualidade, conta com um ranking secreto no qual define o quão desejável é cada um de seus participantes. O aplicativo se baseia nessas informações para selecionar quais perfis devem aparecer para você e quais pessoas devem ver o seu perfil na plataforma. Este ranking é secreto porque a grande maioria dos usuários não sabe que ele existe (e jamais conseguirá acessá-lo).

A avaliação é feita pela própria plataforma, que gera uma pontuação para cada participante e é conhecida internamente como “Elo score” (ou pontuação Elo, em português), emprestando do mundo do xadrez um termo que se refere ao método utilizado para calcular a força relativa entre dois enxadristas. O coeficiente recebe este nome porque foi criado pelo físico húngaro Apard Elo.

Apesar de não entrar em detalhes sobre como tudo funciona, o diretor do Tinder, Sean Rad, revelou que a companhia levou 10 semanas para desenvolver o algoritmo que define o ranking. Contudo, ele afirma que o algoritmo mede a sua desejabilidade, não a sua atratividade. “Não é simplesmente quantas pessoas deslizam o seu perfil para a direita”, comenta. “É bastante complicado e nós levamos dois meses e meio para criá-lo porque ele leva em conta muitos fatores.”

Semelhante com semelhante

O vice-presidente de produto do Tinder, Jonathan Badeen, compara o ranqueamento com o jogo Warcraft. “Eu costumava jogar há muito tempo, e sempre que você joga com alguém que tem uma pontuação realmente alta, você acaba ganhando mais pontos do que se jogasse com alguém com pontuação mais baixa”, analisa. “É um jeito de combinar pessoas e ranqueá-las de forma mais rápida e precisa se baseando em com quem elas vêm combinando”, conclui.

Enfim, o mais provável é que o algoritmo leve em conta uma série de fatores relacionados a como as pessoas utilizam a própria plataforma para pontuá-las no ranking e, assim, direcionar cada perfil para outros perfis que se encaixam em seus gostos e nas suas práticas de uso do app.

“As pessoas se dividem muito mesmo sobre a fotografia: algumas gostam de barba, outras, não”, comenta o engenheiro de dados do Tinder Tor Solli-Nowlan. “A mesma coisa com tatuagens, fotos com animais ou crianças, muitas fotos ao ar livre ou fotos suas com um tigre”, finaliza. E ele mesmo avisa que a definição do aplicativo de encontros não é universal, mas apenas uma medida para organizar as coisas dentro da própria plataforma.

Fonte: Fast Company

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar