Conheça o Tsu, a rede social que paga pelos posts de seus usuários

Por Joyce Macedo RSS

Tsu e-mail

Lançada há pouco mais de um ano, em outubro de 2014, uma rede social chamada "Tsu" (pronuncia-se “sú”) começou a ganhar destaque nas últimas semanas. Sua proposta é bem ousada: dividir o dinheiro ganho com publicidade e remunerar seus usuários pelos posts produzidos.

Criada pelo norte-americano Sebastian Sobczak, o Tsu joga com o desejo humano de "ficar rico rápido", uma vez que a promessa é de que 90% do dinheiro arrecadado com anúncios na rede social seja repassado para os usuários, enquanto a empresa por trás do serviço fica com apenas 10%. 

A rede social foi criada sobre o princípio de que o seu conteúdo é seu, portanto a receita de publicidade gerada graças a ele deve ser compartilhada com você, o criador. De forma simplista, podemos dizer que o usuário é pago para socializar.

O Tsu é gratuito e possui uma interface que lembra bastante o Facebook. No entanto, para se cadastrar no site você precisa receber um convite, ou simplesmente conhecer alguém que já seja membro da rede social e usar a URL da página do seu perfil ("short code") como uma espécie de código de indicação.

À primeira vista, a matemática do serviço não é muito complicada: quanto maior o alcance do conteúdo criado, maior a quantia paga pela rede social ao usuário. Apesar de se parecer muito com um esquema de pirâmide, o Tsu não se enquadra neste tipo de negócio, pois os novos integrantes não precisam pagar para entrar na rede social.

O dinheiro para pagar os usuários é obtido por meio de propagandas, patrocínios e parcerias que ficam espalhadas pelo site, e cada vez que alguém visualiza seu post, o site recebe dinheiro. No entanto, se a sua intenção é ganhar muito dinheiro com o Tsu, saiba que não é tão fácil quanto parece. 

O Tsu permite vincular contas de outras redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram) para encontrar amigos e até mesmo postar simultaneamente conteúdos em mais de uma plataforma. O Instagram ainda não permite postar automaticamente o mesmo conteúdo do Tsu, mas já é possível utilizar o recurso para encontrar amigos que estão cadastrados em ambos os serviços.

Quanto maior a relevância social de um usuário, mais compartilhamentos e curtidas ela terá. Isto significa que celebridades e pessoas com milhares de seguidores nas redes sociais são as que têm mais chance de ter seu conteúdo monetizado, mas o tipo de divisão de pagamento realizada não permite atingir valores surreais.

Como se ganha dinheiro com o Tsu

Metade da receita obtida pelos usuários do Tsu é na forma de royalties gerados pelo conteúdo postado por ele, enquanto a outra metade é proveniente do crescimento e atividade na sua rede pessoal, chamada de "árvore genealógica" (em inglês "family tree"). 

Quando você começar a construir sua "família", compartilhando o link do seu perfil com as pessoas, sua árvore genealógica começará a crescer. Ela consiste naquilo que o Tsu define como filhos, netos, bisnetos (e assim por diante).

  • Filhos: são as contas que você recrutou diretamente para o Tsu.
  • Netos: são as contas que seus filhos recrutaram para a rede social.
  • Bisnetos: são as contas recrutadas pelos seus netos.

Um terço da receita gerada pelo conteúdo de um usuário é repassado para quem os convidou diretamente para fazer parte do Tsu (ou seja, seu “pai”). Já a pessoa que convidou o pai (ou seja, o “avô”) recebe mais um terço do valor. O algoritmo da rede social rastreia e mensura automaticamente o registro de novas contas e as distribui para o usuário apropriado em sua árvore genealógica. 

O próprio Tsu exemplifica sua distribuição de dinheiro: 

O usuário A convida o usuário B, que, por sua vez, convida C, que convida D para a rede social. Imagine que D publicou um conteúdo no Tsu que rendeu R$ 100 de ganhos com publicidade. 10% do valor fica com a plataforma (neste caso, R$ 10) e o restante (R$ 90) é distribuído entre a “família” da seguinte forma:

  • O usuário D recebe 50% dos R$ 90,00 restantes = R$ 45,00
  • O usuário C recebe 1/3 dos R$ 90,00 = R$ 30,00
  • O usuário B recebe 1/3 x 1/3 dos R$ 90,00 = R$ 10,00
  • O usuário A recebe 1/3 x 1/3 x 1/3 dos R$ 90,00 = R$ 3,33

E assim segue a chamada “regra dos terços infinitos”. 

TsuImagem: Divulgação / Tsu

Como os usuários recebem seus pagamentos

O dinheiro ganho pela evolução da sua árvore genealógica e pela criação de conteúdo só pode ser sacado pelo usuário quando ele atinge uma soma mínima de US$ 100. Outra opção é transferir o dinheiro arrecadado para a carteira eletrônica de um amigo no Tsu, ou então doar a quantia para instituições de caridade que participem da rede.

Regras contra spammers

Em relação à criação de spam, um aviso em letras garrafais presente no FAQ do site dá o recado: "O tsu.co é uma comunidade voltada para o engajamento autêntico. Por favor, trate-a com respeito. Usuários considerados spammers ou que postarem conteúdo inadequado serão banidos a fim de preservar a comunidade".

Para evitar spam, o Tsu possui alguns limites de interação de cada perfil; são eles:

  • 45 posts por dia;
  • 15 destes 45 posts podem ser compartilhamentos (ou seja, se você publicar apenas conteúdo próprio e não compartilhar nada, você poderá fazer 45 posts por dia);
  • 50 pedidos de amizade pendentes;
  • Seguir um total máximo de apenas 1.000 pessoas.

Facebook VS Tsu

Há alguns dias, o Facebook começou a bloquear links do Tsu e quem tenta postar URL da rede social no site de Mark Zuckerberg recebe uma mensagem de erro alertando para que "o conteúdo que você está tentando compartilhar inclui um link que nossos sistemas de segurança detectaram como inseguro". A rede alega que o Tsu está violando termos de segurança de sua API.

Para o CEO e fundador do Tsu, Sebastian Sobczak, essa é uma estratégia do gigante das mídias sociais para tentar frear o crescimento da sua plataforma. Atualmente, o Tsu conta com 4 milhões de usuários, enquanto o Facebook já bateu a marca dos 1,5 bilhão.  

"Compartilhar um link para o Tsu não é diferente de compartilhar um link para o YouTube, o Huffington Post, Twitter, etc, mas, por alguma razão, estamos sendo apontados como violadores", afirmou Sobczak durante uma entrevista. "É um caso claro de censura". O executivo também alega nunca ter recebido um aviso sobre a violação dos regulamentos da API do Facebook.

Mas será mesmo que Zuckerberg teme o "novo" concorrente? O modelo de negócios do Tsu é impossível de ser praticado pela maior rede social do mundo, mesmo que os executivos quisessem, ela agora é uma companhia de capital aberto. Imagine explicar aos investidores que agora 90% da receita obtida com anúncios do Facebook será repassada para seus usuários? 

Para ilustrar melhor a situação, o Facebook deve arrecadar o equivalente a mais de US$ 16,29 bilhões em publicidade digital em 2015, o que representa 64,8% da verba colocada no setor. Já o Twitter será a segunda maior arrecadadora com publicidade online no período, com cerca de US$ 2,03 bilhões, o equivalente a apenas 8,1% da receita do mercado mundial.

Por que você não vai ficar rico com o Tsu

Um simples cálculo matemático mostra que se um usuário conseguir ganhar US$ 0,01 por dia, ele levará 10.000 dias (cerca de 28 anos) para atingir a marca de US$ 100 necessários para sacar o dinheiro recebido.

Amanda Blain, CEO da rede social voltada para o público feminino "Girlfriend Social", fez um post bem analítico sobre o assunto. Em seu site, ela dá o seguinte exemplo: “Quando houver 100 milhões de membros, é bem provável que não haverá US$ 100 milhões em faturamento diário. (Nem mesmo o Facebook fatura US$ 100 milhões por dia). Você receberá menos de US$ 1. Cada usuário, cada pessoa convidada ‘enfraquece’ o valor da rede, levando inevitavelmente as pessoas a ganharem frações de centavos [...] você para na rua e se abaixa para pegar uma moedinha de um centavo?".

No entanto, o debate gerado pela popularização do Tsu levanta questões interessantes como o falso engajamento incentivado pelo dinheiro distribuído pela rede social e também nos faz pensar sobre propriedade intelectual na internet e como o mercado de publicidade online lida com nossas informações.

De qualquer forma, se você estiver interessado em saber mais sobre o funcionamento do Tsu e até mesmo participar da rede social, confira nosso tutorial sobre como se inscrever na plataforma.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar