Optimus L5 II, o smartphone intermediário da linha de entrada da LG

Por Pedro Cipoli RSS | 30.09.2013 às 09h55

Optimus L5 II

A segunda geração dos aparelhos Optimus L da LG é um tanto confusa. Enquanto a primeira geração estava bem segmentada, com o L3 sendo o modelo mais básico, o L5 o suficiente para o dia a dia e o L7 como um intermediário com uma tela grande e configuração suportável, na geração II essa divisão é bem mais nebulosa. Dizemos isso pois as diferenças entre o L3 II e o L5 II ficam basicamente por conta da tela.

LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5 LG OPTIMUS L5
LG OPTIMUS L5
LG OPTIMUS L5 slideshow lupa

Tanto o L3 II quanto o L5 II possuem o mesmo visual – o que é natural, pois pertencem à mesma geração. O plástico utilizado na construção de ambos ajuda bastante no visual, mas se mostra pouco resistente a choques externos, além de ficar marcado das mãos com facilidade. Um diferencial do L5 II é a sua pegada, já que foge da regra de smartphones excessivamente grandes que temos por aí com suas 4 polegadas de tela. 

Especificações

Em relação às especificações do L5 II, realmente não entendemos a estratégia da LG. O processador é um MediaTek de 1 GHz single-core e ele tem 512 MB de memória RAM, o que, em números, é exatamente a mesma configuração do Optimus L3 II (a GPU é uma PowerVR SGX 531, pouca coisa melhor do que a Adreno 200 do modelo inferior). Porém, o desempenho do L5 II chega a ser pior do que o do L3 II. Absurdo, não?

Isso acontece por dois motivos: primeiro porque a Qualcomm, fabricante do Snapdragon que equipa o L3 II, tem um know-how maior do que a Mediatek em projetar SoCs, então o L3 II possui uma eficiência maior por clock do que o L5 II, apesar de ambos rodarem a 1 GHz. Em segundo lugar, a resolução de tela do L3 II é bem menor (320x240) do que a do L5 II (800x480), então são menos pixels para movimentar, facilitando o trabalho da CPU.

Considerando que o L5 II se posiciona em uma faixa de preços maior do que o L3 II, não conseguimos encontrar uma justificativa para essa escolha, que é bem ruim, diga-se de passagem. Mesmo se tratando de um modelo de entrada, o ideal seria um clock maior, ou mesmo um processador dual-core, presente em concorrentes na mesma faixa de preços, como é o caso do Motorola RAZR D3.

Jogos casuais rodam com alguma desenvoltura, como é o caso do Candy Crush (tem vida sobrando?) e o Cut the Rope, assim como vídeos no YouTube até 720p, já que a GPU do L5 II é básica, mas suficiente para essas tarefas. Com 4 GB de memória interna, o Android 4.1 e os aplicativos da LG ocupam boa parte do espaço disponível, sobrando meros 1,4 GB para o usuário, menos até do que o L3 II (??). 

Experiência

Como dissemos acima, o L5 II é um pouco lerdinho, e não dizemos isso por estarmos acostumados com modelos quad-core mais avançados. O Android Jelly Bean realmente exige mais processamento do que o Ice Cream Sandwich, em especial na parte gráfica, mas ainda assim um pequeno upgrade no processador resolveria isso facilmente. Qualquer modelo Android fica mais lento com o tempo, depois de instalarmos toneladas de apps, mas um modelo lerdo logo que tiramos da caixa é meio chato.

A Optimus UI, interface dos smartphones LG, é bem simplista, ao mesmo tempo que traz recursos legais, como é o caso do Quick Memo. Temos aqui um caso muito parecido com a TouchWiz da Samsung, que, embora traga mais funcionalidades, tem cara de velha. O Jelly Bean tem uma interface muito bem acabada, então por que não manter o visual e adicionar recursos? A tela IPS de 480x800 tem uma boa qualidade dentro das 4 polegadas do aparelho, mas é mal aproveitada.

Combinando a interface que, apesar de funcional, é feia com uma configuração como a do L5 II, o resultado é um custo benefício ruim. Não nos entendam mal, o L5 II é uma opção melhor do que o L3 II, mas com uma diferença de preços difícil de ser explicada com o argumento de melhoria considerável para o usuário, já que o upgrade do processador de 800 MHz para 1 GHz é praticamente imperceptível aqui.

Câmera

Fotos LG L5 II

Com 5 megapixels, a câmera é basicamente a mesma do L5 original, sendo capaz de tirar fotos com alguma qualidade e com tamanho razoável. Não observamos nenhuma melhora no sensor utilizado, capaz de absorver a mesma quantidade de luz do modelo anterior.

Fotos LG L5 II

Os vídeos ficam na mesma situação, e o aparelho ainda é incapaz de gravar em 720p. A qualidade VGA não chega a ser ruim para um modelo nessa faixa de preços, mas não se sai bem em ambiente com baixa luminosidade, mesmo com o flash ligado.

Fotos LG L5 II

Conexões e extras

O pacote de conexões do L5 II é pouca coisa diferente do L5 original, mas ainda assim é bastante completo dentro de sua faixa de preços. Temos GPS com A-GPS, WiFi a/b/g/n, NFC (algo surpreendente em um modelo mais básico),  rádio FM (com RDS), Bluetooth 3.0 e 3G. A bateria de 1700 mAh consegue fornecer uma boa autonomia, sustentando o aparelho por um dia inteiro sem problemas e chegando até a 2 dias de uso leve.

O que há na embalagem:

  • LG Optimus L5 II P460
  • Carregador
  • Cabo USB-micro USB
  • Manuais e garantia
  • Fone de ouvido 

Conclusão

O Optimus L5 II pode ser encontrado por aproximadamente R$ 600, valor que não traz o mesmo custo-benefício do L7 II ou L3 II. Esse é o grande problema desse modelo, que foge da regra do bom conjunto de recursos por um valor razoável da linha L da LG pois, tirando a tela e a câmera, ele é praticamente idêntico ao L3 II em vários pontos, modelo mais básico da empresa. Na primeira geração, a diferença de ambos era bem mais pronunciada.

Como tivemos a oportunidade de testar os 3 modelos essa diferença ficou evidente para nós, pois o L5 II não é um aparelho ruim, mas é muito pouco competitivo em relação ao L3 II e consideravelmente inferior ao L7 II, não tendo um valor compatível com seus recursos e com suas especificações. Para o "azar" da LG, o L3 II melhorou bastante de uma geração para a outra enquanto o L5 II ficou estacionado, quase não recebendo upgrades.

Vantagens

  • Tela de qualidade para um modelo de entrada
  • Android Jelly Bean 4.1 de fábrica

Desvantagens

  • Comparado ao Optimus L3 II e Optimus L7 II, não traz o mesmo custo-benefício
  • Configuração ultrapassada pela faixa de preços
Leia a Seguir

Comentários