3

Galaxy Gran Duos, o smartphone com cara de Galaxy S3 e dois chips

Por Pedro Cipoli RSS | 17.06.2013 às 14h52

Samsung Galaxy Gran Duos

O Galaxy S3 foi um dos primeiros smartphones com tela grande a chamar a atenção e deu início aos modelos com telas maiores que temos hoje, mas não sem um período de adaptação por parte dos usuários. O Galaxy Note original foi lançado antes mas pertence a uma categoria diferente de produto: os phablets, que juntam a praticidade de um smartphone com as funções (e poder de processamento) de um tablet. Mas, naquela época, esses grandalhões híbridos não fizeram tanto sucesso entre o público acostumado com modelos de no máximo 4,3 polegadas, como era o caso do Galaxy S2.

Hoje o cenário mudou. Muitos de nós nos acostumamos com telas maiores por vários motivos, desde a praticidade que modelos próximos de 5 polegadas oferecem, com mais pixels disponíveis, até os benefícios adicionais, como capacidade de comportar uma bateria maior e suportar múltiplos chips. O Galaxy Gran Duos que vamos conhecer hoje traz esses benefícios sem trazer um preço alto, incorporando muitas características do Galaxy S3 e Galaxy S4, modelos top de linha da Samsung.

A primeira e mais perceptível é o design — uma combinação do branco, posição dos sensores e das bordas do Galaxy S3 com a lateral que lembra metal (mas não é) do Galaxy S4, além de trazer uma tela de 5 polegadas. A parte traseira traz a mesma disposição da câmera de 8 megapixels, LED e caixa acústica, que de longe engana bem como um Galaxy S3. A frente também lembra muito o S3 um pouco maior — quer dizer, até ligarmos a tela. Mesmo com a presença da interface TouchWiz padrão da Samsung reparamos a diferença rapidamente.

Como se trata de um modelo de entrada, a resolução e tecnologia da tela do Gran Duos são bastante decepcionantes, O display é um TFT com resolução 480x800 espalhados em 5 polegadas diagonais, o que resulta na baixíssima densidade de pixels de 187 pontos por polegada quadrada. Para quem está acostumado com telas de alta qualidade como a Retina do iPhone ou Super AMOLED da Samsung, dificilmente verá o Gran Duos como uma boa opção, pois qualquer tela de LED é capaz de fornecer uma experiência superior mesmo com baixas resoluções.

Porém, baixas resoluções trazem algumas vantagens, como a necessidade de um hardware menos potente e uma maior duração de bateria, que por sinal é bastante satisfatória. Com 2100 mAh, o Gran Duos sobreviveu um dia inteiro com os dois chips ativos (onde apenas um deles possuía 3G). Já com apenas um chip, ela sobreviveu um dia e e meio com uso moderado e alguns jogos casuais, além de um outro dia inteiro com uso um pouco mais pesado com pesquisas de local via GPS (com A-GPS e GLONASS) e reprodução de vídeo via streaming 3G.

O processador Cortex-A9 dual-core de 1,2 GHz e 1 GB de RAM se saiu bem na maioria das tarefas mesmo com vários aplicativos abertos ao mesmo tempo, mas jogos mais pesados engasgaram bastante. A GPU do Gran Duos é pouco conhecida, uma VideoCore IV da Broadcom, modelo otimizado para reprodução de vídeos mas um pouco fraco para aplicações 3D. A Samsung provavelmente escolheu essa GPU para diminuir os custos de produção em vez de algum modelo mais convencional, como Adreno, PowerVR ou GeFore ULP.

Samsung Galaxy Gran Duos Samsung Galaxy Gran Duos Samsung Galaxy Gran Duos Samsung Galaxy Gran Duos Samsung Galaxy Gran Duos Samsung Galaxy Gran Duos Samsung Galaxy Gran Duos Samsung Galaxy Gran Duos Samsung Galaxy Gran Duos Samsung Galaxy Gran Duos
Samsung Galaxy Gran Duos
Samsung Galaxy Gran Duos slideshow lupa

Com um design intermediário entre o Galaxy S3 e Galaxy S4, a construção do Gran Duos é bastante frágil, ainda mais considerando a ausência da proteção do Gorilla Glass. Smartphones maiores requerem mais cuidado e essa é uma caracteristica que deve ser levada em consideração na hora da compra. A traseira de policarbonato é capaz de aguentar algumas pancadas, mas as laterais e as telas são bastante sensíveis.

As câmeras lembram muito a experiência que tivemos com o Galaxy S3: 8 megapixels na traseira com capacidade de gravar vídeos em Full HD (1920x1080) e frontal de 2 megapixels para videochamada com suporte a gravações em HD (1280x720) com uma qualidade bastante aceitável. Para quem costuma tirar fotos e gravar vídeos de tudo, ficará feliz em saber que o Gran Duos  tem suporte a cartões micro SD de até 64 GB além da memória interna de 8 GB, ou seja, espaço sobrando para fotos, vídeos e músicas.

Como já dissemos, ele é um pouco maior do que o Galaxy S3. Tem 14,3 centímetros de altura por 7,7 centímetros de largura, mas ainda assim é bem fino com 9,6 milímetros de espessura. Também é leve, com 162 gramas, lembrando bastante um phablet. A vantagem é poder dividir a tela entre dois aplicativos simultâneos como no Galaxy Note II e Galaxy S4 (embora o resultado não seja tão bom devido à baixa resolução de tela).

A embalagem inclui um plug de tomada de dois pinos com um cabo USB para carregar o smartphone e transferir dados do PC. Também é fornecido o mesmo fone de ouvido do Galaxy S3, disponível nas cores branca e azul. Como conexões temos o 3G com HSPA+ (mas não o 4G), Bluetooth 4.0, antena Wifi padrão b/g/n e DLNA, mas nada de NFC. A versão 4.1 do Android (Jelly Bean) foi escolhida como sistema operacional, ainda sem informações se será atualizado ou não.

Conclusão

Encontramos o Galaxy Gran Duos disponível no mercado brasileiro com uma média de preços de R$ 1000, o que o torna uma excelente opção para quem quer um modelo com tela grande e suporte para dois chips simultâneos. Usuários que estão acostumados com telas de maior resolução ou com tecnologias mais modernas não o verão com bons olhos por se tratar do maior defeito do aparelho.

No geral, o Gran Duos traz uma excelente relação custo-benefício para a sua faixa de preços, onde natualmente recursos como 4G e NFC não estão presentes. Porém, ele traz uma característica importante em meio a planos caros e de péssima qualidade oferecidos pelas operadoras brasileiras, sendo capaz de suportar dois cartões SIM e ainda assim sobreviver a um dia fora da tomada.

Para quem está em busca de um modelo dual-SIM sem abrir mão de desempenho e recursos, o Gran Duos se destaca (já que a maioria dos modelos de dois ou mais chips oferecidos no mercado são excessivamente simples). Ele é mais recomendado que o Multilaser M5 3G que testamos aqui há algum tempo, mas sofre do mesmo problema que desagrada a muitos, que é a baixa qualidade de tela, tornando algumas tarefas ruins, como jogos e leitura de textos por longos períodos. Acreditamos que a presença de uma tela HD ou que tenha tecnologia LED encareça o aparelho, mas posicionaria o Gran Duos em uma categoria superior.

Vantagens

  • Boa relação de custo-benefício
  • Especificações boas para um intermediário
  • Bateria de longa duração
  • Suporte a dois chips SIM simultâneios

Desvantagens

  • Tela de baixa qualidade e baixa resolução
  • Não há 4G ou NFC
  • As bordas poderiam ser menores para tornar o aparelho mais portátil
  • GPU pouco otimizada para jogos
Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

FIQUE ATUALIZADO
RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS POR E-MAIL