Street Fighter V simplifica jogabilidade e aposta no online para evoluir

Por Durval Ramos RSS

Ken Street Fighter V

Street Fighter V chega ao PS4 e PC em um contexto bem diferente daquele que tínhamos em 2008, no lançamento de Street Fighter IV. E, ao longo desses oito anos, muita coisa mudou. A estrutura online evoluiu muito nesse período e abriu as portas para novas possibilidades que eram impensáveis há quase uma década. E a Capcom percebeu isso muito bem.

Não por acaso, o novo game da série de luta chega quase que inteiramente focado nesse tipo de interação, unindo jogadores de todos os cantos do mundo em uma enorme comunidade de lutadores. É claro que ele ainda traz seus modos clássicos, incluindo o bom e velho versus, mas é em seu ecossistema online que o novo Street Fighter rouba a cena. Ele é realmente a evolução de tudo aquilo que vimos antes, seja em termos de possibilidades quanto na própria mecânica.

Bastam alguns minutos de pancadaria para perceber que o objetivo da Capcom foi realmente se aproveitar do crescimento do e-sport e do interesse do público nessas competições. E Street Fighter V consegue atrair esse pessoal muito bem a partir de duas frentes. Primeiro, ele reinventa sua jogabilidade e faz com que tudo seja mais simples e acessível, perfeito para atrair novos jogadores que queriam entrar nesse mundo das lutas. Em seguida, amplia tudo aquilo que já tinha sido feito com o online para criar um ambiente perfeito para você treinar suas habilidades contra qualquer pessoa. O mundo é, literalmente, uma grande arena.

Street Fighter V

E o resultado é um dos melhores e mais divertidos jogos de luta desta geração.

Reaprendendo a jogar

Uma das principais críticas quanto a Street Fighter IV era sua complexidade. Por ser muito técnico, ele exigia preparação e estudo de cada personagem para que você pudesse ter alguma chance contra alguém minimamente experiente. E isso afastou muita gente do game.

Por isso, a Capcom decidiu tornar as coisas mais amigáveis em Street Fighter V. E essa é uma das principais novidades do jogo. Ele simplificou muitos comandos e mecânicas, o que permite que qualquer pessoa possa se divertir e até ter chance de vitória contra alguém mais experiente. Ficou muito mais fácil encaixar os golpes e isso faz com que eles surjam sem mistérios.

E isso muda bastante a dinâmica dos combates. Como está mais fácil partir para o ataque, o grande segredo está em saber defender e aproveitar as oportunidades de contra-ataque. E é aí que o jogo começa a separar aqueles que querem apenas distribuir uns Hadouken daqueles que realmente vão mergulhar no game e competir de verdade.

Street Fighter V

A simplificação dos comandos também significa uma maior tendência ao erro. Por mais que esteja mais fácil executar um golpe ou até soltar um Critical Art, um movimento errado pode abrir uma brecha enorme para um contra-ataque. E basta um único deslize desses para que a partida vire em apenas alguns segundos.

Essa é a grande mágica de Street Fighter V. Ao mesmo tempo em que ele permite que um novato se divirta ao dominar o básico de qualquer personagem, somente quem for se aprofundar de verdade vai entender essas minúcias da mecânica e vai se diferenciar. Ele é um game que se encaixa ao estilo desses dois perfis de jogadores, o que o torna bem versátil. Ele não é nem muito técnico a ponto de afastar o casual e nem tão raso para não afugentar os velhos fãs.

Outro ponto que ajuda a diferenciar o perfil de jogador é o próprio V-System, uma das principais adições do game. Trata-se de um conjunto de habilidade específico de cada personagem e que pode garantir uma vantagem provisória, criar um golpe mais poderoso e até virar o jogo em questão de segundos. Tudo vai depender do quanto você sabe aproveitar essas características.

Street Fighter V

O V-Skill, por exemplo, pode ser executado a qualquer momento e funciona como uma espécie de movimento único. Alguns lutadores vão usar isso para dar um golpe diferenciado, enquanto outros se aproveitam disso para ganhar um benefício estratégico, como é o caso do Ryu. Ao ativar a função, o protagonista consegue bloquear um golpe, o que é uma vantagem e tanto em uma luta.

Já o V-Trigger é um pouco mais agressivo e determinante, principalmente por só poder ser utilizado em alguns poucos momentos durante o confronto. Com ele, alguns golpes têm seus danos dobrados ou então realizam um movimento especial para posicioná-lo melhor em combate. São várias possibilidades e é preciso estudar o personagem para saber a melhor hora de utilizar cada um deles.

Por fim, temos o V-Reversal, que funciona como uma espécie de quebra combo. Sabe quando você fica encurralado em um dos cantos do cenário, apenas se defendendo dos ataques do oponente? Pois agora é possível quebrar essa sequência de ataques e abrir brecha para um contra-ataque rápido. E é algo tão rápido que é bem provável que o seu rival nem perceba o quer está acontecendo.

Street Fighter V

Isso mostra o quanto a mecânica de Street Fighter V evoluiu. Como dito, ele continua acessível para todo mundo, mas um jogador novato dificilmente vai se dar ao trabalho de entender esse V-System ou compreender o que cada um deles faz. E é com isso que a Capcom pretende separar o jogar casual daquele que realmente vai se dedicar ao cenário competitivo.

Bem-vindo à Capcom Fighter Network

Se as mecânicas eram uma das estratégias da produtora para conquistar novos jogadores, a estrutura online criada em Street Fighter V faz com que ele alcance novos níveis de competitividade. O estúdio criou um ecossistema próprio para fazer com que a comunidade não apenas se enfrente, mas cresça e se desenvolva sozinha.

A Capcom Fighters Network é um grande avanço nessa ideia de conectividade. Como a experiência online é fundamental por aqui, ela centraliza todas as suas ações e ainda introduz novos recursos para que você possa estar em desenvolvimento constante a cada nova luta. É uma evolução do que Street Fighter IV já tinha, desde os rankings até a organização de batalhas. A diferença é que isso deixa de ser algo escondido dentro de um dos modos para ser um dos pilares do game.

Laura Street Fighter V

Com a CFN, o jogo reúne tudo o que você precisa para aprimorar suas habilidades. Há todo um sistema de pontuação que o incentiva a seguir em frente ao mesmo tempo em que permite que você defina alguém como rival para acompanhar seu progresso em paralelo, além de poder desafiá-lo a qualquer momento.

Mas de nada adiantaria fazer tudo isso sem um ambiente online estável. E isso é outro dos acertos da Capcom. Street Fighter V tem um ótimo sistema de matchmaking, reunindo jogadores com habilidades semelhantes e de regiões próximas, o que faz com que a latência seja mínima e você não sofra com problemas de conexão — o que é um avanço e tanto em relação ao game anterior.

Além disso, você não precisa mais se limitar apenas à sua plataforma. Uma das novidades do jogo é que ele integra a comunidade do PC e do PS4, permitindo que os jogadores se enfrentem independentemente de onde estejam. E nem mesmo essa mudança prejudica a qualidade da conexão.

Porém, isso não quer dizer que Street Fighter V não tenha seus problemas em relação ao online. O principal deles é a centralização exagerada em torno da CFN, o que cria uma burocratização desnecessária. Tudo bem que a ideia é acabar com as fronteiras entre consoles e criar algo único, mas não poder chamar seus amigos a partir da lista de contatos da PSN ou Steam é algo problemático. Assim, encontrar um conhecido exige um caminho muito maior do que o necessário, sendo muito pouco intuitivo.

Street Fighter V

Outro ponto é o fato de que nem tudo está disponível neste primeiro momento. Ainda que o jogo chegue nesta terça-feira (16), o Saguão de Batalha e o modo espectador só vão ser liberados em março. Assim, se você pretendia reunir os amigos para jogar, saiba que a melhor maneira ainda é chamar todo mundo na sua casa para isso.

Produto incompleto

Street Fighter V é, sem dúvidas, um excelente jogo, mas ainda é um produto muito incompleto. E não apenas pelas ausências no modo online. Na verdade, vários outros conteúdos do game ainda estão em produção e só chegam no próximo mês. Assim, a impressão que fica é que o jogo só vai ser lançado de verdade em março e o que temos hoje é apenas uma nova fase do Beta.

Um belo exemplo disso são os desafios, que servem para ensinar os jogadores a dominarem alguns movimentos e os combos de determinados personagens. Se a ideia é fazer com que o título seja acessível para todos os públicos, não faz sentido trazer uma das maiores ferramentas de aprendizado apenas em um segundo momento. O mesmo acontece com a Loja, que também só estará disponível em março.

Ken Street Fighter V

O Modo História é outro afetado. Ainda que ele esteja presente, é muito fácil perceber que este é apenas um prólogo de algo muito maior que a Capcom já prometeu apenas para junho. E isso não seria nenhum problema caso o jogo oferecesse um modo arcade para que os jogadores pudessem treinar contra a CPU. Porém, o que existe são apenas historietas que servem muito mais para apresentar cada um dos personagens e servir de passatempo. Cada lutador conta com três ou quatro confrontos com um único round e sem qualquer dificuldade.

E isso é algo que incomoda muito em Street Fighter V. Ele tinha tudo para ser um jogo à beira da perfeição, mas não há como ignorar essas ausências. São partes fundamentais da experiência de qualquer jogador e que a Capcom deixou de fora para liberar futuramente.

A ideia de evolução constante do game é ótima, principalmente após as várias críticas feitas ao game anterior. Contudo, há uma diferença absurda entre você evoluir um conteúdo e completá-lo com aquilo que já deveria existir de um começo. Isso não é fazê-lo crescer, é tapar um buraco que nem deveria estar ali para começo de conversa.

Hadouken!

Esses problemas incomodam? Com certeza, mas não o suficiente para ofuscar tudo aquilo que Street Fighter V tem de melhor. O game é realmente tudo aquilo que os fãs esperavam e vem no caminho certo para fazer com que o cenário competitivo continue crescendo. É a consagração de tudo aquilo que a série há anos vem construindo.

Street Fighter V

Assim, seja você um novato no mundo das lutas ou alguém que acompanha a franquia há mais tempo, Street Fighter V tem muito a oferecer. É claro que é incômodo encontrar algo pela metade, mas sabemos que todos esses pontos estão a caminho e, mais importante, aquilo que já está estabelecido é mais o suficiente para mantê-lo preso em frente ao console.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar